Papanicolau também detecta câncer de ovário

PUBLICIDADE

Por Mariana Lenharo
1 min de leitura

O papanicolau já tem o posto do exame mais eficiente em ginecologia, por sua capacidade de detectar células precursoras do câncer de colo do útero. Agora pesquisadores descobriram que, na mesma secreção coletada pelo exame, é possível detectar também sinais de outros dois tipos de câncer: de ovário e de endométrio (ou corpo do útero). Isso é feito por meio de um teste genético chamado PapGene.A novidade traz esperança principalmente quanto à prevenção contra o câncer de ovário. Hoje, não existem exames de rotina eficazes em detectar precocemente esse tipo de tumor, por isso 75% dos casos são descobertos em estágio avançado.O estudo, que resultou de uma parceria da Universidade Johns Hopkins com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), partiu da hipótese de que células cancerosas dos tumores de ovário e do endométrio "viajam" até o colo do útero, de onde é colhido o material do papanicolau. Os resultados foram publicados na revista Science Translational Medicine.Para o ginecologista Jesus Paula Carvalho, professor da FMUSP e um dos autores do estudo, os resultados foram animadores. "Pela primeira vez, por meio de um exame simples, feito com material de papanicolau, a pesquisa por alteração no DNA de células cancerosas pôde detectar o câncer de ovário", diz.Ele acrescenta que o estudo abre a perspectiva para a criação de um teste que possa ser aplicado em larga escala. "É só uma questão de evoluir e refinar o método. O passo seguinte é fazer um banco de tumores e tecidos para poder testar isso em várias outras situações", diz Carvalho. O procedimento não deve ser caro, segundo o médico, já que a tecnologia é semelhante ao que já é utilizado para identificar o papilomavírus humano (HPV). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.