PUBLICIDADE

Parada do Orgulho LGBT+ retorna à orla de Copacabana após intervalo de dois anos

Após suspensão de duas edições do evento por causa da pandemia, parada volta com o tema da preservação da Amazônia e meio ambiente e homenagem às vítimas da covid-19

PUBLICIDADE

Foto do author Rayanderson Guerra
Atualização:

A Parada do Orgulho LGBT+ está de volta ao Rio de Janeiro neste domingo, 27, após dois anos de intervalo por conta da pandemia de covid-19.

PUBLICIDADE

A organização do evento espera cerca de 800 mil pessoas na praia de Copacabana. O desfile é o terceiro maior evento cultural da capital fluminense, atrás apenas do Réveillon e Carnaval.

Neste ano, a Parada LGBT+ terá como tema a preservação da Amazônia e o meio ambiente, além de homenagear as vítimas da pandemia de covid-19. A organização diz que dez trios elétricos e alas temáticas percorrerão a Avenida Atlântica ao longo do domingo.

Parada LGBT+ ocorre na Orla de Copacabana após dois anos de intervalo por causa da pandemia Foto: Thiago Lara/Riotur

Com a campanha “Coragem pra ser feliz”, desenvolvida pelo diretor de criação Bruno Bertani, da Industria Nacional Design, a parada é organizada há 27 anos pela ONG Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT+. ”Essa é a Parada do renascimento após um período de dor e perdas em razão da covid-19 e especialmente pelo aumento do discurso de ódio em parte da sociedade contra nossa comunidade LGBTI+, do nosso renascimento como cidadãos de direitos”, afirma Cláudio Nascimento, Presidente do Grupo Arco-Íris e coordenador geral da Parada do Orgulho LGBT+ Rio 2022.

“Sabemos que retomar o caminho para o respeito às nossas identidades exigirá coragem para romper com últimos anos de conservadorismo e com a tentativa de fazer o ódio imperar. Somos sempre pelo afeto e pelo diálogo”, completou Nascimento.

A parada começou na tarde deste domingo e deverá percorrer a Avenida Atlântica até a rua Rodolfo Dantas. De acordo com a CET-Rio, trechos do entorno da orla ficarão interditados para o desfile. A desocupação e liberação das vias deve ocorrer às 23h.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.