PUBLICIDADE

Trabalhador resgatado critica setor de mineração do Chile

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Efe

PUBLICIDADE

O minerador chileno Mario Sepúlveda, o segundo a ser resgatado da mina San José, agradeceu às autoridades pelo êxito na operação e criticou a situação das minas no Chile, em entrevista concedida duas horas depois de ser içado à superfície após ficar soterrado por 70 dias.

"Era o momento de fazer mudanças. Este país tem de entender que é preciso fazer mudanças", declarou o minerador à emissora TVN, em alusão às condições de insegurança nas quais se desenvolve a atividade mineradora nas pequenas e médias empresas.

Sepúlveda, que pediu mudanças em matéria trabalhista, assinalou que "os empresários devem dar as armas para que os comandantes médios façam mudanças".

"Não podemos ficar assim sob nenhuma circunstância", insistiu Sepúlveda. Ele elogiou, no entanto, a gestão realizada pelo "grande governo" do presidente Sebastián Piñera, que culminou no êxito até o momento da operação de resgate.

Publicidade

"Sempre soube que me resgatariam, sempre tive fé nos profissionais do Chile e no grande criador", ressaltou Sepúlveda.

Considerado o 'porta-voz' do grupo por narrar os vídeos gravados no interior da mina, Sepúlveda foi recebido pela mulher e pelos dois filhos, além dos integrantes da equipe de resgate e das autoridades, entre elas o presidente Piñera e o ministro de Minas, Laurence Golborne.

Embora alguns meios de comunicação tenham destacado seus dotes de comunicador, Sepúlveda descarta atuar em outra profissão no momento.

"Não quero que me tratem como artista nem como animador, mas como o Mario Sepúlveda minerador", finalizou.

Veja também:

Publicidade

# GALERIA: Fotos do local # ESPECIAL: Como será o resgate # ENVIADA: Clima de Woodstock

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.