PUBLICIDADE

Transportar palha de cana ficou mais fácil

Equipamento enfarda material e facilita transporte até a usina, onde pode ser usado na cogeração de energia

PUBLICIDADE

A cogeração de energia elétrica usando palha de cana-de-açúcar é, por um lado, uma tendência de fonte de energia limpa e renovável. Por outro lado, transportar toda a palha do canavial para a usina tem um custo alto, pelo fato de o material ter baixa densidade - pouco peso em relação ao volume. "É um problema. Há material abundante no campo, mas transportá-lo é difícil, porque o caminhão tem de fazer várias viagens por causa do volume da palha", diz o engenheiro agrícola Henrique Leandro Silveira.Para tentar contornar esse problema, Silveira construiu e avaliou, em sua dissertação de mestrado, orientada pelo professor Oscar Braunbeck e apresentada na Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri/Unicamp), protótipo de um equipamento que adensa a palha de cana, adaptado de máquinas adensadoras de feno. "A ideia é compactar e enfardar a palha, para facilitar o transporte e baratear o custo", afirma. Para se ter ideia, a densidade da palha varia de 25 a 50 quilos/metro cúbico; compactada, sua densidade sobe para 180 a 200 quilos/metro cúbico.O protótipo é constituído basicamente por um cone rotativo e um motor. O material entra no cone, que vai afunilando, e, sai do "funil" compactado. "A palha vai sendo torcida e entrelaça-se uma na outra, formando uma corda contínua. É a chamada torção por atrito." O protótipo faz parte do projeto Unidade Móvel de Auxílio à Colheita (Unimac-cana), cujo objetivo é a construção de uma colhedora que reúna em um só equipamento várias funções envolvidas na colheita da cana. "Com a proibição da queima da palha, haverá mais material no campo a ser aproveitado", diz Silveira, lembrando do Protocolo Agro-Ambiental do Setor Sucroalcooleiro Paulista, de 2007, que proíbe a queima de palha até 2014.SAFRA 2010/2011Plantio e produção de grãos podem cairLevantamento feito pela Conab e divulgado semana passada indica que a safra 2010/2011 deve ficar entre 145,72 milhões e 147,93 milhões de toneladas - redução de 887.600 a 3,10 milhões de toneladas em relação à safra passada. Já a área plantada deve variar de 47,32 milhões a 47,99 milhões de hectares em relação à anterior. Site: www.conab.gov.br.PISCICULTURAReprodução artificial de peixes em debateA reprodução artificial de peixes pela técnica de "barriga de aluguel" será tema de palestra dia 21, às 15h30, no Parque da Água Branca, na capital paulista. O especialista em peixes transgênicos Goro Yoshizaki, professor da Tokyo University of Marine Science and Technology, falará no auditório do Instituto de Pesca. Reservas por intermédio do e-mail: neuza@pesca.sp.gov.br.RECURSOS NATURAISCurso ensina como recuperar nascentesO IAC-Apta realiza, de 19 a 22, em Campinas (SP), o 2.º Curso Extensivo de Produção de Água, Recuperação e Preservação de Nascentes, voltado a agricultores e técnicos. Tel. (0--19) 3202-1768.VALE DO RIBEIRAFeira incentiva troca de sementes e mudasA 3.ª edição da Feira de Troca de Sementes e Mudas Tradicionais das Comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira ocorrerá dia 23, às 9h, em Eldorado (SP). A feira resgata o comércio e a troca de produtos tradicionais das comunidades. Tel. (0--13) 3871-1697; e-mail luca@socioambiental.org.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.