PUBLICIDADE

Vai-Vai exalta saúde de corpo e mente na busca do bi

PUBLICIDADE

Por ALINE SCÁTOLA

A escola campeã de 2008 do carnaval paulistano vai manter a fórmula do sucesso e tratar novamente de questões sociais. Com o samba-enredo "Mente Sã e Corpo São", a Vai-Vai conta a história da saúde mundial já em clima de celebração por seus 80 anos, que serão completados no ano que vem. "Vamos dar informação e luxo", diz o carnavalesco Chico Spinosa. A informação fica por conta do enredo, que pretende chamar a atenção para os cuidados com a saúde e explicar a "globalização microbiana" - ou a difusão das doenças pelo mundo - desde o comércio de especiarias entre as Índias e o Ocidente. O luxo é o presente antecipado pelo aniversário especial de 2010. "É uma fase comemorativa", explica o carnavalesco. É o terceiro ano em que a escola aproveita um tema de importância pública. Em 2007, foi a reciclagem. No ano passado, a educação. Para Spinosa, o que conta é falar com a comunidade sobre os assuntos problemáticos da sociedade. "Estamos falando em tópicos, como reciclagem, educação e, agora, saúde. Um belo dia o público vai sentir que estamos na verdade falando da cultura desse País", diz. Para o enredo, o carnavalesco usou uma estética "mais rococó, mais bordada, coisa que há muito tempo não usava". A escola também fez um grande trabalho com materiais descartáveis, "desde papel alumínio até plástico", conta Spinosa. "Este é um ano atípico, estamos no meio de uma crise. Dentro das possibilidades, temos que ser criativos, dar um drible na dificuldade, fazer (materiais) recicláveis parecerem um luxo", explica. Foram investidos cerca de R$ 1,5 milhão para vestir e enfeitar as cerca de quatro mil pessoas que entram com a Vai-Vai na avenida, divididas em 39 alas. São oito carros alegóricos, mas como o estatuto das Escolas de Samba só permite cinco carros no máximo, alguns serão acoplados para não desrespeitar o regulamento. Apesar do momento de crise financeira, Spinosa acredita que a Vai-Vai poderá conquistar este ano seu 14º campeonato. "Estou fazendo um desfile de supercampeã, tão digno que tem a possibilidade de disputar no Rio". O preto e branco da Bela Vista, bairro na região central de São Paulo, vai ser defendido pela voz de Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, que puxa o samba-enredo pela segunda vez na escola. A bateria tem acompanhamento de elite: sua rainha, Camila Silva, foi eleita este ano rainha do carnaval de São Paulo. A madrinha é a apresentadora Amanda Françozo. Rostos conhecidos que também devem entrar na avenida com a escola são do senador Eduardo Suplicy, do cantor Emílio Santiago, da produtora da rede Globo Lucimara Parisi e da ex-miss e apresentadora paranaense Mônica Gulin. A Vai-Vai é a penúltima a se apresentar esta noite e deve entrar no Sambódromo do Anhembi às 3h05. Confira a letra do samba-enredo, composto por Zé Carlinhos, Naio Denai, Danilo Alves e Wagner Almeida: "Mente sã e Corpo são" Mais uma vez estou feliz da vida Que me perdoem as co-irmãs. De corpo, alma e mente pura Sou da Saracura, treze vezes campeã Vai meu samba tirando onda, "Vai-Vai" vai mostrar A História da saúde mundial. Acorda meu Brasil, A coisa por aqui já vai pra lá de mal Nos velhos tempos das grandes navegações A peste vinha impregnada em seus porões E a Terra se afundou num poço de lama A globalização microbiana (chegou) No balanço do mar, um bando de imundos Veio macular o chão do Novo Mundo Eu vivo a indagar, se o mais civilizado Era o Pero peludo ou tupi pelado Arde o Rio! É febre na cidade inteira A vacinação trouxe a salvação Salve a ciência brasileira O mundo tem que cultuar o corpo E consumir o que é natural Dizer não às drogas do mal Se liga no meu carnaval A luz que purifica a alma, reluz e nos conduz Buscar alternativas pra curar tantas feridas, Que essa louca vida faz, Somente a força da fé, para nos guiar Pedir às deusas serpentes para abençoar A nossa saúde, minha escola vem brindar Superação, a Bela Vista é tradição Traz no DNA a raiz do samba pé no chão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.