Veados não surfam a onda verde

PUBLICIDADE

Por Fernando Reinach
3 min de leitura

Desde que a Terra é Terra, as estações se sucedem ao longo do ano e com elas aumenta e diminui a disponibilidade de alimentos, a temperatura e a quantidade de luz. Para escapar do inverno no Hemisfério Norte, muitos pássaros migram para o Sul, "acreditando" que vão encontrar clima ameno e alimentos abundantes (até agora não foram enganados pelo clima de nosso planeta). Quando chega o inverno no Sul, voltam ao Norte. Mas não são todos os seres que podem se dar ao luxo dessas longas migrações. As plantas perdem as folhas e aguentam firmes no mesmo local. Os ursos hibernam e muitos carnívoros se viram como podem quando seu hábitat está coberto de neve.Caso interessante é o dos veados (Cervus elapus) que habitam a Noruega. Todos os anos, com a chegada do inverno, eles migram para o extremo sul de seus territórios. Quando chega a primavera, as plantas germinam e os brotos, ricos em nutrientes e pobres em lignina e fibra, são o alimento preferido dos veados. Ao longo dos meses a temperatura aumenta; primeiro no extremo sul, depois o calor se espalha gradativamente para o norte. Esse aumento de temperatura e luminosidade provoca uma onda de aparecimento de novas folhagens que se espalha do sul para o norte e é chamada pelos biólogos de onda verde. São os apetitosos e nutritivos brotos que duram poucos dias e se movimentam em direção ao norte do país.Mas a movimentação dessa onda verde é complexa. Ela depende não somente da latitude (direção norte-sul), mas também da altitude. Em uma mesma latitude, os brotos surgem primeiro nos vales, geralmente mais quentes, e depois sobem montanha acima. Se um veado deseja acompanhar a onda verde, a estratégia ideal seria devorar os brotos do vale e migrar um pouco para o norte ou para cima de uma montanha, devorando os brotos assim que surgem. Há muito, cientistas observaram que de maneira geral esses veados migram para o norte durante a primavera, acompanhando o espalhamento da estação. Mas será que eles acompanham rigorosamente a onda verde em direção ao norte? Antecipação. Agora um estudo minucioso demonstrou que os veados da Noruega não surfam a onda verde. Na verdade, eles pulam na sua frente. Um total de 294 veados foi capturado e em cada um foi instalado um sistema de rádio e GPS que informa continuamente aos cientistas a localização do animal. O deslocamento desses animais foi monitorado por nove anos. Com esses dados, as caminhadas de cada animal puderam ser traçadas em um mapa. Para determinar, durante esse período, onde as plantas estavam brotando (a posição da onda verde), os cientistas utilizaram fotos tiradas duas vezes por semana, durante nove anos, por um satélite artificial. Essas fotos, que registram a cor da luz refletida pela vegetação, podem ser tratadas matematicamente de modo a indicar onde está brotando a vegetação, a cada semana, durante o desenrolar das ondas verdes. Com esses dois conjuntos de dados, os cientistas puderam correlacionar a posição de cada animal em relação à onda verde que se espalhava pela Noruega.Os cientistas imaginaram três possibilidades. No primeiro caso, os animais acompanhariam rigorosamente a onda verde. A posição da onda, medida pelo satélite, deveria coincidir com a posição dos veados. A segunda possibilidade é que os veados andavam atrás da onda verde, com um atraso que poderia ser de dias ou semanas. No terceiro caso, os veados andariam na frente da onda verde, esperando sua chegada, comeriam os brotos e depois se movimentariam mais rapidamente que a onda, chegando novamente antes dela a outro local.Os resultados obtidos demonstram que ocorre a terceira hipótese. O interessante é que a estratégia adotada pelos veados não propicia a ingestão da maior quantidade possível de alimentos nutritivos (os brotos), mas ela permite que eles não precisem se deslocar continuamente. Eles se deslocam bastante por uns dias e depois esperam a chegada da onda. Como quase todas as descobertas científicas, esse estudo resolve uma questão e provoca outras. O que levaria os veados a adotar essa estratégia, seria a dificuldade de locomoção dos filhotes que acompanham o bando? Como eles determinam em que local devem parar e esperar pela chegada da onda verde?Agora sabemos que os veados da Noruega não surfam a onda verde que se espalha pelo país todos os anos. Mas o que poderíamos esperar naquele clima, veados que gostam de surfar?* BIÓLOGOMAIS INFORMAÇÕES: A MIGRATORY NORTHERN UNGULATE IN THE PURSUIT OF SPRING: , JUMPING OR SURFING THE GREEN WAVE? AMERICAN NATURALIST,  VOL. 180,  PÁG. 407,  2012

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.