PUBLICIDADE

Ativistas italianos colam suas mãos em pintura de Botticelli

Obra estava protegida por vidro e não foi danificada, o ato fez parte de um protesto pacífico

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Três ativistas ambientais realizaram neste sábado, 22, um protesto pacífico em uma das salas da Galeria Uffizi em Florença (Itália central) que abriga as obras de  Sandro Botticelli (1445 - 1510), pintor que retratou o nascimento de Vênus em uma das obras mais famosas da história da arte. 

Eles colaram as mãos com cola instantânea em um vidro que protege La Primavera, uma das pinturas mais conhecidas do artista, que não foi danificada. Os ativistas, duas mulheres e um homem, logo que entraram no museu se dirigiram ao ambiente em que está a obra de Botticelli e abriram um banner com o slogan escrito: "Última Geração Sem Gás Sem Carvão".

Ativistas ambientais colocam as mãos sob a pintura"Primavera" na galeria Uffizi, em Florença Foto: Ultima Generazione/Handout via REUTERS

Momentos depois  eles "grudaram" suas mãos à obra, o que causou espanto entre os outros visitantes, mas logo foram retirados do museu e levados a uma delegacia. O museu informou à EFE que a obra não foi danificada de forma alguma graças ao vidro especial instalado anos atrás para proteger essa pintura, assim como outras obras importantes da galeria Uffizi.

Ativistas ambientais exibiram uma mensagem de protestos e foram retirados do local à força Foto: Ultima Generazione/Handout via REUTERS

Os três jovens, que foram transferidos do local pelos carabineiros (polícia militarizada), vão ser acusados ​​dos crimes de interrupção de serviço público, resistência a funcionário público, manifestação não autorizada e destruição de bens, segundo a informaram mídias locais. 

EFE 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.