PUBLICIDADE

Publicidade

Bank of America tem conta com ? 7 bi da Parmalat, diz site

Por Agencia Estado
Atualização:

O Bank of America detém ? 7 bilhões em ativos da Parmalat Finanziaria SpA, informou o site de notícias financeiras TGFIN, citando uma associação de credores da empresa. Segundo a reportagem, uma companhia pertencente à família Tanzi é a proprietária legal dessa conta. Os fundos foram transferidos de dez bancos italianos para sua filiais ou parceiros nos EUA e destes para uma conta no Bank of America, onde os ativos estão investidos em bônus Tesouro dos EUA. Nenhum representante do Bank of America foi encontrado para comentar o assunto. Ligações telefônicas para Mauro Sandri, advogado que coordena a associação de portadores de bônus e ações da Parmalat, não foram respondidas. Se a reportagem estiver correta, poderia significar uma resposta a uma das maiores fraudes da história corporativa. O advogado Luigi Vanti, sócio de Sandri, chegou a dizer que acompanhou as movimentações financeiras da empresa e da família Tanzi, acionista majoritária da Parmalat Finanziaria. "Temos 99,9% de certeza de que encontramos o dinheiro", afirmou. Suas declarações, entretanto, foram desmentidas por Sandri em uma entrevista à Radiocor. Sandri refutou a declaração e disse que concederá uma entrevista coletiva ainda hoje. No mês passado, a Parmalat SpA, divisão de alimentos e laticínios do grupo, declarou-se insolvente após revelar um rombo de ? 4 bilhões em suas contas, relacionado à falsificação de documentos. Promotores que estão investigando a suposta fraude disseram que esse rombo pode ser de até ? 10 bilhões. No Brasil, os bancos estimam que a dívida da Parmalat no País seja de R$ 1 bilhão, quase o dobro do divulgado no balanço da empresa. O novo cálculo, segundo reportagem de jornal Valor Econômico, leva em consideração as dívidas das holdings Parmalat Empreendimentos e Administração e Parmalt Participações. As duas controlam a Parmalat Indústria de Alimentos, única que tem capital aberto e, justamento por isso, divulga seus demonstrativos financeiros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.