PUBLICIDADE

Publicidade

'Basta dar uma chuvinha para tudo encher', diz morador de região com obra de saneamento inacabada

Aldemar Severino, de 54 anos, mora às margens do rio, na comunidade Quilombo, em uma área que seria beneficiada pela obra de requalificação do Beberibe, entre Recife e Olinda

Por Vinícius Brito
Atualização:

OLINDA - O Rio Beberibe é um símbolo para Pernambuco e obras na bacia hidrográfica prometem melhorar a qualidade de vida de quem mora ao lado do curso d’água. Porém, o saneamento e a urbanização dos bairros Peixinhos e Beberibe, entre Recife e Olinda, parecem estagnados depois de mais de uma década. 

Aldemar Severino, de 54 anos Foto: Vinícius Brito/Estadão

PUBLICIDADE

Com orçamento superior a R$ 117,1 milhões, a verba para o saneamento dos dois bairros da região metropolitana do Recife vem do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cujo site oficial deixou de informar sobre o andamento do projeto em junho de 2018. Nas ruas, a população reclama do esgoto e do acúmulo de lixo no Beberibe. 

É o caso do comerciante Irandir Severino, 23, que ficou surpreso ao saber do projeto de saneamento, que prevê melhorias para a área desde 2007. “O que eu vejo aqui é muito lixo e lama. Desde que estou aqui, eu não sabia dessa obra (na Bacia do Beberibe). O governo tem de dar mais atenção à galera daqui, porque é muito rato e barata, o que contribui para doenças.”

O comércio às margens do Beberibe não é o único a sofrer. Na comunidade de Quilombo, entre Recife e Olinda, Vaniele da Silva, de 23 anos, convive com a insalubridade. “Eu já fiquei de cama. A outra vizinha pegou leptospirose e ficou acamada também. A maioria das pessoas daqui já pegou essa doença.” 

A comunidade, construída há mais de uma década, não tem calçamento nem encanação, e o esgoto corre entre as casas de alvenaria e madeira.

Aldemar Severino, de 54 anos, também mora às margens do rio, na comunidade Quilombo, em uma área que seria beneficiada pela obra de requalificação do Beberibe. “A relação com o saneamento daqui é péssima. Basta dar uma chuvinha para o rio transbordar e isso tudo aqui encher”, resume indignado.

Severino imagina o impacto positivo que a requalificação na Bacia do Beberibe traria para os bairros vizinhos. “Se a obra de saneamento continuasse, ia melhorar o bem-estar da comunidade. Do lado do Recife ainda estão fazendo, mas deste lado de Olinda está esquecido”, afirma.

Publicidade

Na tarde de terça-feira, a equipe encontrou funcionários da prefeitura do Recife com tratores e equipamentos de limpeza urbana no Rio Beberibe. Já em Olinda, a poucos metros dali, não havia sinal de obra para limpeza do esgoto, que corre a céu aberto e deixa mau cheiro. 

O bairro de Peixinhos está com obra do PAC, no valor de R$ 72 milhões, para drenagem e esgotamento das ruas. A entrega, segundo a prefeitura, deve ocorrer até 2020.

A Secretaria de Urbanização de Olinda (cidade responsável pelo projeto de saneamento e urbanização de Peixinhos e Beberibe, informa o balanço do PAC) informou que a responsabilidade da obra é do governo do Estado.

Em contato com a Companhia Estadual de Habitação e Obras de Pernambuco, o órgão esclareceu que as obras em Peixinhos “não estão paralisadas”, com a terraplenagem, pavimentação, drenagem e esgotamento de 35 ruas, das quais seis estariam em execução.

Para o bairro de Beberibe, no entanto, a companhia afirmou que não consta nenhum contrato. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.