PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Celcoin projeta crescer até 100% este ano com salto em finanças embutidas

Empresa de tecnologia voltada ao mercado financeiro espera dobrar volume de transações

PUBLICIDADE

Foto do author Matheus Piovesana
No primeiro semestre, o volume processado cresceu 71% e a média mensal de transações processadas foi de R$ 8 bilhões Foto: Celcoin

A empresa de tecnologia para o mercado financeiro Celcoin espera dobrar o volume de transações que passam por seus sistemas neste ano na comparação com o ano passado. Em 2022, a companhia registrou volume financeiro processado de R$ 51,9 bilhões; para 2023, a expectativa é chegar a R$ 100 bilhões, com expansão entre 90% e 100%.

No primeiro semestre, o volume processado cresceu 71% e a média mensal de transações processadas foi de R$ 8 bilhões. A base de clientes chegou a 370 fintechs e bancos, além de 5.000 empresas médias e grandes e redes de varejo.

Expansão ocorre no segmento de finanças embutidas

PUBLICIDADE

O presidente da Celcoin, Marcelo França, afirma que o crescimento vem principalmente de empresas não financeiras que querem oferecer produtos e serviços bancários. São as finanças embutidas (embeded finance, em inglês): o serviço financeiro é oferecido durante a compra de um produto, por exemplo.

A Celcoin oferece infraestrutura para que as empresas ofereçam do Pix ao crédito sem ter de obter licenças junto ao Banco Central. Fundos como os da gestora de investimentos de impacto Vox Capital investiram na companhia. Criada em 2016, originalmente, a Celcoin era uma carteira digital que queria tirar o cliente das lotéricas, levando o pagamento de contas para o digital. O leme virou após fintechs procurarem a companhia em busca de infraestrutura para outros tipos de operação. Hoje, há clientes como Neon, Digio, PagBank e Inter, entre outros.

Neste ano, a empresa agregou à cesta o Open Finance, sistema de compartilhamento de dados dos clientes entre as instituições financeiras criado pelo Banco Central, com a compra da Finansystech. Segundo França, a aquisição completou um quebra-cabeça: com as licenças que a Celcoin já possui, os clientes compram em um lugar só uma estrutura completa, das transações financeiras ao Open Finance.

Publicidade


Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 08/09/23, às 16h08.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.