PUBLICIDADE

Publicidade

Dados dos EUA e Société Générale derrubam ações na Europa

Foto do author Redação
Por Redação

As bolsas de valores europeias fecharam em baixa nesta sexta-feira, diante de dados desapontadores do mercado de trabalho norte-americano e preocupações sobre operações com derivativos do Société Générale. Os mercados também se mostraram cautelosos após o porta-voz do primeiro-ministro da Hungria expressar a visão de que o país tem pouca chance de evitar uma crise como a da Grécia. O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,96 por cento, para 997 pontos. "Hoje foi um dia de más notícias e não houve nenhuma trégua", disse Mike Lenhoff, estrategista-chefe do Brewin Dolphin. "Foi muito desapontador que os números de trabalho (nos EUA) tenham ficado abaixo do esperado." Os bancos, pressionados, devolveram os ganhos das sessões anteriores. O Société Générale caiu 7,6 por cento com rumores de que a companhia teria novas perdas com derivativos, mas uma porta-voz afirmou que "se tivéssemos algo a dizer, já o teríamos feito". A BP reduziu a alta do começo da sessão, para fechar com ganhos de apenas 0,3 por cento. A empresa resistia à pressão política para parar o pagamento de dividendos diante do vazamento de petróleo no golfo do México. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,63 por cento, a 5.126 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,91 por cento, para 5.938 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 recuou 2,86 por cento, para 3.455 pontos. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em queda de 3,79 por cento, a 18.734 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou perda de 3,8 por cento, para 8.923 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve desvalorização de 2,2 por cento, para 6.974 pontos. (Reportagem de Joanne Frearson)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.