PUBLICIDADE

Publicidade

Vencimento de opções dá fôlego e Bolsa volta aos 56 mil pontos

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado

Foto do author Bianca Lima
Atualização:

SÃO PAULO - Se na semana passada o Ibovespa zerou os ganhos do ano e acumulou declínio de 8,30% - a maior queda semanal desde agosto de 2011 -, esta semana começou completamente diferente, com a Bolsa renovando máximas, sobretudo nas últimas horas da sessão. O pregão desta segunda-feira foi influenciado positivamente pelo vencimento de opções sobre ações, que já havia ajudado a Bovespa a fechar no positivo na última sexta-feira. Notícias vindas da Grécia, durante o fim da semana, também deram fôlego para o principal índice da Bolsa recuperar o patamar dos 56 mil pontos, perdidos na última terça-feira.

PUBLICIDADE

Hoje, o Ibovespa encerrou com valorização de 3,81%, aos 56.590,24 pontos. No mês, a Bolsa acumula queda de 8,46% e, no ano, declínio de apenas 0,29%. Na mínima, o índice ficou estável, aos 54.516 pontos e, na máxima atingiu os 56.678 pontos (+3,97%). O giro financeiro alcançou R$ 10,541 bilhões, sendo R$ 2,995 bilhões referentes ao vencimento. Os dados são preliminares.

Mas a expressiva valorização vista hoje está longe de ser uma reversão da tendência de baixa que fez recentemente o Ibovespa operar no vermelho por oito sessões consecutivas (antes da alta de sexta) e zerar os ganhos de 2012. "Não parece que este comportamento seja permanente. É uma correção, não chega nem perto de reverter uma tendência", avalia o operador de renda variável da Icap Brasil, Rodrigo Falcão.

Entre os principais destaques de alta do Ibovespa, as ações ON da Petrobras encerraram com ganho de 7,28%, e as PN com avanço de 6,97%. Na Nymex, o contrato de petróleo com vencimento em junho encerrou com valorização de 1,19%, a US$ 92,57 o barril, encerrando uma sequência de seis sessões consecutivas de queda.

Já as ações da Vale subiram 3,19% na ON e 3,22% na PNA.

Publicidade

Também entre as altas mais acentuadas estavam empresas que foram castigadas nas últimas semanas e estavam com preço considerado descontado, como Gerdau (+7,90%), Metalúrgica Gerdau (+7,09%) e Bradesco (+7,06%). Por outro lado, as principais quedas foram dos papéis considerados defensivos, o que mostra a migração dos investidores para os papéis de maior risco. O setor elétrico puxou as quedas, com Eletrobrás PNB recuando 3,40%, CPFL ON caindo 3,39% e Eletrobrás ON perdendo 3,00%.

Lá fora, os mercados reagiram bem às pesquisas publicadas no fim de semana que mostraram que a maioria dos eleitores da Grécia querem que o país permaneça na zona do euro, o que alimenta as esperanças de um resultado positivo nas eleições marcadas para 17 de junho.

Em um dia de agenda fraca, as boas notícias do fim de semana prevaleceram e o índice Dow Jones avançou 1,09% na sessão de hoje, o S&P 500 ganhou 1,60% e o Nasdaq apresentou valorização de 2,46%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.