Eliane Cantanhêde

Ouça os comentários diários da colunista do Estadão para o Jornal Eldorado.


Acompanhe também em:

Eliane sobre Governo na posse de Chambriard: "pareceu uma política de ocupação"

Ao tomar posse do cargo oficialmente, a presidente da Petrobras, Magda Chambriard, afirmou ontem que Lula lhe deu a missão de movimentar a companhia para impulsionar o PIB e de gerir a estatal “com respeito”, além de afirmar que não quer “confusão nessa empresa”. O presidente aproveitou para fustigar mais uma vez a Operação Lava Jato, que, segundo ele, “queria na verdade desmontar e privatizar” a Petrobras. Em seu pronunciamento, Magda também se comprometeu com a transição energética, o respeito à biodiversidade e ao meio ambiente e garantiu que a gestão “está totalmente alinhada com a visão do presidente” Lula. "Quando a gente vê o presidente e toda cúpula do Governo na posse, me pareceu uma política de ocupação e uma demonstração de agora serão eles a mandar na Petrobras. E a nova presidente confirmou essa sensação em seu discurso", analisa Eliane.

20/06/2024 | 12h53
Ouvir episódio

Todas as edições

Eliane Cantanhêde entrevista deputado Reginaldo Lopes

Um grupo de trabalho da Câmara dos Deputados apresentou ontem o texto com as regras do novo sistema de impostos. O relatório ainda vai ser discutido antes da votação em plenário. O texto apresentado nesta quinta-feira é resultado de discussão do grupo de trabalho que começou em maio e ainda pode ser modificado.
O relatório deixou carnes, frango e peixes fora da nova cesta básica nacional, que ficará isenta de impostos. Para não prejudicar a população mais pobre, os deputados e o governo querem ampliar o chamado cashback - sistema que devolve parte dos impostos para famílias que têm renda, por pessoa, de até meio salário mínimo e que estão incluídas no Cadastro Único, o CadÚnico. O Congresso ainda vai discutir o formato do cashback e como as famílias receberão esse dinheiro - um dos pontos de atenção do deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), integrante do Grupo de Trabalho, que concede entrevista a Eliane Cantanhêde.

05/07/2024 | 13h03
Ouvir episódio

"Haddad foi a pessoa de bom senso que aconselhou Lula a recuar"

O presidente Lula disse ontem que o governo tem compromisso com a responsabilidade fiscal. A declaração ocorre após o petista ter sido alertado por economistas de dentro e de fora do governo sobre o impacto de suas falas no dólar e o reflexo na inflação. A mudança de tom no discurso foi acompanhada por uma queda na cotação do dólar à vista, de 1,7% (quase 10 centavos), aos R$ 5,5684, a maior baixa porcentual desde agosto de 2023. Na Bolsa, o Ibovespa subiu para os 125.661,89 pontos (+0,7%). A afirmação ocorreu no lançamento do Plano Safra familiar no Palácio do Planalto, de R$ 76 bilhões para a agricultura familiar. "As falas destrambelhadas do presidente contra o Banco Central e cortes de gastos eram o que estava fazendo o dólar explodir. Se havia um ataque especulativo do Mercado era porque Lula os estimulava. Ele foi aconselhado a recuar por quem tem bom senso: Fernando Haddad, ministro da Fazenda. A disparada do dólar aumenta a inflação e, se isso acontecer, aumentam os juros; você sai do circulo virtuoso e entra no vicioso", comenta Eliane.

04/07/2024 | 13h00
Ouvir episódio

"Campos Neto afirmou que ruídos causam alta do dólar. Quem causa isso?"

O presidente Lula recebe hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. O encontro, já anunciado por Haddad, ocorre em meio a um momento de tensão na economia do país, com o dólar, em disparada, tem atingido os maiores valores em dois anos e meio; com o governo buscando formas de cortar gastos públicos para garantir equilíbrio fiscal; e o confronto de Lula ao mercado, que gostaria de ações mais claras do governo no sentido de conter despesas. "Lula vai discutir a questão que trouxe para dentro de seu coração - a guerra com Banco Central, juros e com o presidente da entidade, que também reagiu. Roberto Campos Neto afirmou que a alta do dólar é em função de ruídos. E quem causa isso na Economia, com o BC e contra juros? O presidente Lula", diz Cantanhêde.

03/07/2024 | 13h06
Ouvir episódio

Eliane Cantanhêde entrevista Gustavo Franco

Na semana em que o Real completa 30 anos de existência, o marco na economia brasileira é o tema da conversa de Eliane Cantanhêde e do âncora do Jornal Eldorado Haisem Abaki com Gustavo Franco, economista, ex-presidente do Banco Central do Brasil e professor do Departamento de Economia da PUC-Rio.

02/07/2024 | 12h40
Ouvir episódio

"Controlar a inflação é mudar o País; criar nova era no Brasil"

Há 30 anos, em 1° de julho de 1994, o real era colocado em circulação. Apesar de ser a maior marca do Plano Real, essa foi só a ponta final de um extenso plano econômico que pôs fim a uma era de hiperinflação e constantes trocas da moeda corrente do Brasil. De lá para cá, o real já se desvalorizou bastante. A inflação oficial do país acumulou alta de 708% nesses 30 anos. "Temos de reconhecer que todos os grandes economistas, 'pais' do Real - aqueles que se reuniram para mudar o País, porque controlar a inflação é mudar o País; criar nova era no Brasil -, indicam que isso foi possível graças à força do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Foi ele que garantiu o apoio do presidente Itamar Franco e 'bancou' intelectual e politicamente o Plano Real. Foi uma era de ouro no País. O passo seguinte seria equilibrar as contas públicas, que é o discutido até hoje", afirma Eliane.

01/07/2024 | 13h04
Ouvir episódio

PUBLICIDADE