PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Dicas e curiosidades sobre animais

Como o PL do Dia Nacional das Zoonoses pode ajudar nossas famílias

Um assunto negligenciado passa a ser pauta no Congresso Nacional em prol dos humanos e animais.

PUBLICIDADE

Foto do author Luiza  Cervenka
A zoonose não está na rua, pode estar dentro da sua casa - Agência Brasília/Creative Commons  

Dia 06 de julho é o Dia Mundial das Zoonoses, estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em memória ao primeiro uso da vacina contra a raiva por Louis Pasteur, em 1885. O Projeto de Lei n. 905/2024, apresentado pelo Deputado Federal Zacharias Calil, institui o Dia Nacional das Zoonoses, a ser celebrado anualmente nesta fata. A iniciativa visa conscientizar a população sobre zoonoses e promover ações de prevenção e controle em todo o Brasil.

PUBLICIDADE

Mas como tudo isso pode ajudar nossas famílias multiespécie?

Ter um cão ou gato em casa é uma delícia. São nossos filhos. Mas o que muitos tutores ou pais e mães de pet preferem ignorar é possibilidade de doenças que passam dos animais aos humanos. E não estou falando de animais de rua, mas os que moram na sua casa e dormem na sua cama.

A tragédia no Rio Grande do Sul nos mostrou um recorte da leptospirose, uma doença transmitida pela urina de ratos, que pode acometer cães e humanos. Em casos raros, cães não vacinados contra a doença também podem ser transmissores para o ser humano.

O assunto só piora quando falamos de raiva ou mesmo leishmaniose, ambas doenças que podem ser transmitidas de cão para seres humanos e não tem cura. Eu sei que essa doenças parecem estar distantes, quando pensamos em grandes centros, mas vamos falar sobre vermes, pulgas e carrapatos?

Publicidade

Quando você faz a prevenção de parasitas no seu cão? Você espera ele estar com pulga para dar remédio? Ou você faz o tratamento preventivo, para que não haja uma infestação? Eles podem parecer quase inofensivos, mas pulgas e carrapatos transmitem muitas doenças.  Isso sem falar nas verminoses intestinais. Elas são mais comuns do que a gente imagina.

Falar em zoonoses não é apontar o dedo para o pet do campo, mas para aquele que está no seu sofá!

Não é porque você não vê, que não está ali.

Mas calma! Tem solução: a prevenção!

Eu sei que essa palavra ainda é um pouco desconfortável para nós, brasileiros. Fazemos tudo em cima da hora, deixamos para resolver quando o problema já existe. Mas que tal pensarmos como um todo, pois ao fazer a prevenção contra raiva nos meus pets, por exemplo, eu diminuo a chance de transmissão do vírus para outros animais. Por isso, a conscientização sobre as zoonoses é tão importante.

Publicidade

Assim, a nova data permitirá a realização de campanhas de esclarecimento, exames e outras ações educativas e preventivas em parceria com a iniciativa privada, entidades civis e organizações profissionais e científicas. Além disso, o Governo Federal poderá iluminar locais públicos na cor verde, simbolizando a campanha e destacando a importância da prevenção de zoonoses.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

No Brasil, doenças como raiva, leishmaniose, doença de Chagas e febre amarela representam desafios importantes para a saúde pública. Adicionalmente, ainda mais perto do dia a dia dos brasileiros, destaca-se a prevalência de doenças em cães e gatos causadas por parasitas como carrapatos, pulgas, sarnas e vermes.

"A criação do Dia Nacional das Zoonoses é uma estratégia crucial para aumentar a conscientização e promover ações de prevenção e controle", afirma Carolina Anjos, diretora de Assuntos Corporativos da Boehringer Ingelheim. "Trazer a relevância desse tema para a esfera pública nos ajuda a prevenir as epidemias de doenças infecciosas em animais de companhia e de produção e é fundamental para proteger a saúde de todos", conclui. A iniciativa reforça que a saúde humana e animal estão interconectadas, sublinhando a importância de esforços coordenados para prevenir e controlar essas doenças.

Mas não precisa ter um dia específico para lembrarmos de vacinarmos, vermifugarmos e utilizarmos antipulgas nos nossos pets, né?! Mesmo para aqueles que nunca saem de casa, pois nós podemos levar para eles na sola dos nossos sapatos ou na barra das nossas calças.

Afinal, cuidar da família é nossa responsabilidade!

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.