PUBLICIDADE

Ex-promotora que condenou jovens negros por estupro é acusada de racismo

Linda Fairstein pode perder seu emprego após funcionários de uma ONG para vítimas de crimes violentos tomarem conhecimento do caso

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:
A ex-promotora Linda Fairstein, responsável pela acusação injusta de cinco jovens negros. Foto: Ozier Muhammad/The New York Times

Após a estreia da série Olhos que Condenam na Netflix na última sexta-feira, 31, o caso dos ‘Cinco do Central Park’ reacendeu o debate sobre discriminação racial. Uma das protagonistas da história, a ex-promotora Linda Fairstein (interpretada pela atriz Felicity Huffman na série) foi responsável pela acusação injusta dos jovens negros e agora enfrenta consequências da condenação.

PUBLICIDADE

De acordo com o TMZ, fontes da ONG Safe Horizon, que ajuda vítimas de abuso e crimes violentos em Nova York, revelaram que os funcionários estão indignados com o fato de Fairstein ter permanecido no conselho de uma organização para minorias por tanto tempo. Agora, ela corre o risco de perder seu emprego na instituição sob acusação de racismo.

Em 1989, Linda Fairstein era chefe da Unidade de Crimes Sexuais de Manhattan e teve participação nas confissões forçadas dos cinco jovens condenados.

Olhos que Condenam é uma série de quatro episódios dirigida por Ava DuVernay. A trama gira em torno de um grupo de meninos negros adolescentes acusados de agredir e estuprar uma mulher branca que praticava corrida no Central Park, em Nova York. Eles foram presos e passaram mais de uma década na cadeia. O caso ocorreu há 30 anos, em abril de 1989. Os cinco acusados foram liberados em 2002, após evidências de DNA comprovarem a inocência deles.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.