PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

(Viramundo) Esportes daqui e dali

Corinthians: ou reage contra o Vasco ou vai para o buraco

O Corinthians não tem escapatória, no clássico que faz com o Vasco, na noite desta quarta-feira, em São Januário. Com os 49 pontos até agora ou ganha e se mantém encostadinho em Cruzeiro (54) e Fluminense (52) ou já começa a encarar a possibilidade de passar o ano do centenário sem título. Empate ou derrota são alternativas que só servem para aumentar o desespero e diminuírem as chances.

PUBLICIDADE

Atualização:

As últimas rodadas foram desastrosas lá pras bandas do Parque São Jorge. As três derrotas e os dois empates levaram à perda da liderança, à queda para o terceiro lugar e à demissão de Adilson Batista. A temporada que prometia ser especial entra na fase mais delicada - e pelo menos hoje o rojão fica por conta de Fabio Carille, interino que terá a missão de serenar o grupo. Não dá nem pra cobrar dele - tanto que jogadores mais experientes assumiram a responsabilidade de dar paz ao grupo no Rio.

PUBLICIDADE

E esta é de fato a hora de Roberto Carlos, Alessandro, Chicão, William, Ronaldo (ainda fora de combate), Iarley pegarem o boi a unha. Conta menos a presença de treinador e mais a vivência que todos esses jogadores mais rodados têm no futebol. Ou o Corinthians se une - e isso significa também apoio de torcida, mas nas arquibancadas - ou vai virar o fio de vez. E dificilmente o técnico salvador da pátria que chegar em cima da hora mudará a história de fiasco.

A briga pela taça não está perdida. O Corinthians tem outros nove jogos para disputar, depois deste. Na matemática, dá pra recuperar espaço perdido. A questão, porém, é psicológica: novo tropeço, neste momento de reta final, poderá sinalizar para os jogadores que a recuperação é inalcançável. Daí o caráter decisivo. Só que, pelo retrospecto do Vasco, empate não é resultado fora de cogitação. O time carioca é o rei da coluna do meio na Série A deste ano - 14 até agora. Péssimo sinal para o Timão.

Santos e Inter de olho. No outro jogo atrasado, também marcado para hoje, na Vila Belmiro, duas equipes jogam as últimas esperanças de título. E justamente as que conquistaram títulos importantes no ano. O Santos tem a Copa do Brasil e o Inter faturou a Libertadores. Mas, com os tropeços do trio da dianteira, voltaram a entrar na luta. Os gaúchos estão com 47 pontos, dois a mais do que os santistas.

O técnico Celso Roth não terá D'Alessandro e Giuliano, que serviram às seleções de Argentina e Brasil, respectivamente, e espera contar com Tinga por um tempo pelo menos. Marcelo Martelotti vai com o que tem de melhor - e a aposta de gols mais uma vez é para Neymar e Zé Eduardo, que fez 4 nos últimos jogos.

Publicidade

Outro jogo com jeito de empate.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.