PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Provas de rua de A a Z

Documentário brasileiro revela o segredo dos maratonistas quenianos

Filme estreia nesta quinta-feira, às 19h30, no YouTube

PUBLICIDADE

Foto do author Silvia Herrera

O que o país do futebol pode aprender com o país das maratonas? Muito, e há anos os nossos atletas da elite atravessam o Atlântico para treinar no Quênia. Vão para Iten, a casa dos campeões, para campings singulares, sem nenhum luxo e muito aprendizado. E foi a busca de conhecimento que motivou o treinador paulistano Ademir Paulino a ir ao Quênia pela primeira vez, em 2017. E há cinco anos, ele teve a ideia de produzir um documentário, para mostrar aos brasileiros o que motiva os quenianos a correrem tanto, e tão bem, e o que podemos aprender com eles. No ano passado, o projeto tomou fôlego com o patrocínio da Olympikus e nesta quinta-feira, às 19h30, estreia no YouTube "Mental  - a escola queniana", com produção da Buena Onda. Logo em seguida haverá uma live com atletas da marca, que participaram das gravações, Paulino e o youtuber Sérgio Rocha.

 Foto: Fractal

PUBLICIDADE

A pré-estreia foi no Quênia, em 5 de maio, com inéditas sessões lotadas e gratuitas, noOasis Lily's, um local onde a população assiste as maratonas. E em vez de pipoca e refrigerante, foi servido chá, suco e ovo cozido. "O documentário é muito inspirador, mostra uma história muito bonita, mas que traz muitas contradições. Quando tive a ideia de fazer o documentário, por não ser da área do audiovisual, achei que era uma coisa muito mais simples. Então, em 2022,  levei duas pessoas para lá, mas quando a gente voltou, entendi que precisava de muito mais, precisava ter pensado na pré-produção, precisava de um equipamento muito melhor, e aquelas imagens serviram apenas para conteúdo nas minhas redes sociais. Desde então venho falando com a Olympikus e deu certo", explica Paulino.

Após a estreia,  "Mental - a escola queniana" ficará disponível do Youtube da Olympikus. Além disso, o documentário já foi selecionado para três festivais internacionais especializados em filmes de corrida, o Buenos Aires Film Festival (Argentina), o The Athletic Coup (Atenas - Grécia) e o RunNation Film Festival (Austrália e Nova Zelândia).

No ano passado, Ademir levou os atletas da Olympikus -Wellington Cipó, Giovani dos Santos, Raisa Marcelino e Jéssica Ladeira (foto abaixo) - e seus alunos para o camping em Iten e região, e fez a lição de casa prévia com a produtora Buena Onda, que faz os filmes da marca esportiva brasileira.  "Agora vamos contar essa história aos brasileiros, e tenho certeza que o documentário vai abrir a cabeça de várias pessoas. Ao mesmo tempo que os melhores do mundo treinam diariamente lá, acompanhados por mais de dez corredores, as condições são precárias, e o mental faz toda a diferença. É muito comum um queniano conseguir seu primeiro tênis de corrida de rua, aos 14, 15 anos. Isso, em grande medida, porque as gigantes esportivas, como Nike, adidas, Asics, distribuem protótipos de tênis para testes lá entre as estrelas do atletismo", acrescenta Paulino. Aliás, o treinador brasileiro sempre leva na bagagem vários tênis para doar aos corredores quenianos, já foram doados mais de 1.500 pares de tênis Olympikus.

 Foto: Fractal

E em Iten, além das lendas da maratona correrem na maior paz entre os normais, tudo respira corrida, está os estabelecimentos comerciais têm nomes do universo running, como New York Marathon, por exemplo. E esse cenário começou a ser plantado, em 12 de dezembro de 1963, quando o Quênia conseguiu sua independência  da Inglaterra, se tornando um país.

Publicidade

A mensagem principal, além de entender esse processo e o contexto histórico e de como em apenas 60 anos o país se tornou referência internacional no atletismo-, é que,  independentemente do nível de corrida da pessoa, o esporte é  uma  ferramenta de transformação e de desenvolvimento humano, que inspira e motiva melhorar o dia a dia, seja no seu trabalho ou em casa. "Se eu desenvolver o meu lado mental, naturalmente vou desenvolver o meu lado físico, e desenvolvendo o físico, eu me desenvolvo com pessoa", finaliza Ademir. Boa sessão a todos, eu já vou garantir a pipoca.

 Foto: Fractal

Ficha Técnica - "Mental - a escola queniana"

Direção e roteiro: Pedro Damasio

Direção de fotografia: Hugo Takemoto

Produtora: Giovana Rabelo

Publicidade

Fotografia still: Neto Ferraz

Montagem e edição: Bárbara Ramona

Trilha original e tratamento de som: Bolívar Gelpi

Identidade gráfica: Vitor Hugo Faveiro

Pesquisa Antropológica: Ana Letícia Schweig

Publicidade

Atletas: Wellington Cipó, Giovani dos Santos, Jéssica Ladeira e Raisa Marcelino

Idealizadores: Olympikus e Buena Onda

Concepção: Ademir Paulino

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.