PUBLICIDADE

Após reunião, Valentim adia definição e pode continuar no Palmeiras

Treinador promete pensar em proposta e continua indeciso entre seguir como auxiliar ou treinar outra equipe

PUBLICIDADE

A reunião realizada nesta segunda-feira entre o treinador interino do Palmeiras, Alberto Valentim, e a diretoria do clube não terminou com uma definição. O técnico promete nos próximos dias dar uma resposta se fica no clube para o próximo ano como auxiliar, como deseja a cúpula alviverde, ou se vai preferir sair e buscar uma equipe para ser efetivado.

Na tarde desta segunda Valentim foi à Academia de Futebol para conversar com o diretor de futebol, Alexandre Mattos, e gostou do conteúdo da conversa. O dirigente apresentou os planos da equipe para a próxima temporada ao treinador, que concordou com vários dos pontos tratados e pode, inclusive, repensar o projeto de assumir a carreira de técnico em 2018 em outro local.

Alberto Valentim conversa com o presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Valentim comandou a equipe nos últimos 11 jogos da temporada, após a saída de Cuca, e ajudou o Palmeiras a confirmar o vice-campeonato brasileiro. Durante essa passagem no comando, o treinador alimentou a expectativa de ser efetivado na função. A diretoria, no entanto, preferiu trazer Roger Machado para dirigir a equipe no próximo ano.

Após essa decisão, o Palmeiras ofereceu a Valentim o cargo de auxiliar, função que já exerceu na equipe entre 2014 e 2016 e entre junho e outubro de 2017. O técnico, porém, disse em algumas ocasiões ter o interesse de dirigir um time, como fez no Campeonato Paulista deste ano com o Red Bull, e manifestou a vontade de trocar o cargo no clube alviverde por uma função de comando em outro time.

À espera da resposta, o Palmeiras deu férias para o elenco a partir desta segunda-feira. O time retorna aos trabalhos no dia 3 de janeiro, sob o comando de Roger Machado. Nas últimas semanas o Sport manifestou interesse na contratação de Valentim.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.