Santos cai para o Bahia nos pênaltis após novo empate e se despede da Copa do Brasil

João Paulo dá sobrevida ao time da Baixada, mas Bruno Mezenga desperdiça cobrança decisiva e donos da casa comemoram ida às quartas de final

Publicidade

PUBLICIDADE

Por Bruno Accorsi
Atualização:
3 min de leitura

O Santos fez mais um jogo ruim e pagou com a eliminação na Copa do Brasil. Diante de um Bahia que não foi dos melhores no primeiro tempo, mas evoluiu no segundo, o time comandado pelo técnico Odair Hellmann foi derrotado por 4 a 3 nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal do jogo de volta das oitavas de final do torneio nacional. O primeiro duelo, no litoral paulista, terminou em empate sem gols.

A disputa das penalidades só foi possível graças a Bruno Mezenga, que entrou no gramado da Arena Fonte Nova aos 34 minutos do segundo tempo e marcou o gol de empate aos 49, o seu primeiro com a camisa santista. O potencial heroísmo do atacante, contudo, não se concluiu, pois foi ele quem perdeu o último pênalti santista, parando em defesa de Marcos Felipe, que já havia agarrado a cobrança de Camacho. João Paulo só impediu Ademir de converter.

Após exibir um de seus piores desempenhos do ano durante a derrota por 2 a 0 para o Red Bull Bragantino, no último domingo, o Santos não demonstrou grande evolução na Arena Fonte Nova. O goleiro João Paulo, que ficou bastante irritado com os erros cometidos pelo time ao longo do jogo contra o time de Bragança Paulista, foi o destaque santista do primeiro tempo desta quarta, pois fez uma defesa incrível para impedir que uma bola cabeceada por Kanu parasse na rede, já nos últimos minutos do primeiro tempo.

João Paulo tentou ajudar, mas o Santos não conseguiu avançar na Copa do Brasil. Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Fora esse lance, sem dúvidas o de maior perigo de toda a primeira etapa, o jogo foi de poucas emoções. Tanto os santistas quanto os tricolores tiveram dificuldades para desenvolver jogadas no campo de ataque. Ambos somaram uma infinidade de erros e não tiveram a coragem necessária para criar lances mais interessantes. Tamanho receio levou a partida para o intervalo com o placar zerado.

No segundo tempo, não houve grande elevação do nível técnico, mas o Bahia conseguiu evoluir um pouco mais na criação ofensiva do que o Santos, por isso conseguiu balançar a rede aos 23 minutos, com a ajuda de um erro alvinegro. Rodrigo Fernández perdeu a bola na lateral esquerda para Everaldo e ficou pedindo saída de bola. O atacante tricolor seguiu e cruzou para Ademir se jogar de peixinho e parar em mais uma ótima defesa de João Paulo, que acabou superado no rebote, após finalização de Cauly.

Pouco depois do gol sofrido, Odair tentou corrigir seu time com a entrada imediata de Ângelo no lugar de Lucas Lima, antes colocar também Camacho, Nathan e Bruno Mezenga nos lugares de Fernández, Lucas Pires e Deivid Washignton. A reta final teve o Santos muito mais presente no campo de ataque, porém sem organização. Mesmo assim, foi persistente e alcançou na bola parada, quando Bruno Mezenga aproveitou cobrança de escanteio de Soteldo e cabeceou para fazer seu primeiro gol com a camisa alvinegra.

Continua após a publicidade

O empate heroico levou a decisão aos pênaltis. Cauly, Mugni, Acevedo e Vitor Hugo converteram para o Bahia. Soteldo, Mendoza e Patati fizeram para o Santos. Camacho foi o primeiro a errar, parando em Marcos Felipe, mas João Paulo manteve o Santos vivo ao defender a cobrança seguinte, uma bola colocada mal executada por Ademir. Então, foi a vez de Mezenga, que poderia ser o grande herói da noite e também viu sua cobrança ser defendida por Marcos Felipe.

BAHIA 1 (4) X (3) 1 SANTOS

  • BAHIA - Marcos Felipe; Kanu, David Duarte e Victor Hugo; Jacaré (Cicinho), Acevedo, Cauly e Ryan (Lucas Mugni); Biel (Ademir) e Everaldo (Diego Rosa). Técnico: Renato Paiva.
  • SANTOS - João Paulo; Gabriel Inocêncio (Weslley Patati), Messias, Joaquim e Lucas Pires (Nathan); Rodrigo Fernández (Camacho), Dodi e Lucas Lima (Ângelo); Mendoza, Deivid Washington (Bruno Mezenga) e Soteldo. Técnico: Odair Hellmann.
  • GOLS - Cauly, aos 38 minutos do primeiro tempo. Bruno Mezenga, aos 49 minutos do segundo tempo.
  • ÁRBITRO - Bruno Arleu de Araujo (RJ/Fifa).
  • RENDA - R$ 1.036.925,00.
  • PÚBLICO - 34.980 pagantes.
  • CARTÕES AMARELOS - Acevedo, Kanu Cicinho e Rodrigo Fernández.
  • LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).