PUBLICIDADE

Com a 'alma lavada', torcedores do River celebram a vitória

Em crise na Argentina, vitória 'heróica' sobre o Botafogo mantém o técnico Daniel Passarella no cargo

PUBLICIDADE

Por Ariel Palacios
Atualização:

Os torcedores do River Plate ainda celebravam nesta sexta-feira a vitória de seu time sobre o Botafogo na noite de quinta-feira. O jogo, disputado no estádio Monumental de Núñez, 'lavou a alma' do River, que havia sido derrotado na semana passada no Rio.   Veja também:  River Plate elimina Botafogo de forma inacreditável   A equipe argentina, cujo desempenho nos últimos meses foi muito criticado, está no meio de uma grave crise. Com a vitória sobre o Botafogo, o técnico Daniel Passarella - ex-integrante da seleção argentina que venceu a Copa de 1978 e posteriormente técnico da seleção - consegue um pouco mais de oxigênio para permanecer no cargo.   Com esta vitória, os torcedores do River puderam zombar dos torcedores do arqui-rival Boca Juniors, que na quarta-feira foi eliminado da Copa sul-americana com uma derrota para o São Paulo, no Morumbi.   O jornal Clarín ressaltou a capacidade do River em virar um jogo que havia começado mal. "O time perdia e seus torcedores o insultavam. Mas, virou e passou às quartas da Copa Sul-Americana". Segundo os analistas do diário, a virada foi possível graças "à vergonha esportiva" da equipe.   Outra publicação argentina, O La Nación festejou a vitória do time argentino, mas acusou a equipe de ter estado "de joelhos durante um bom tempo" do jogo. "No entanto, soube se levantar e fortalecer-se perante seus próprios temores".   Apesar da vitória os especialistas criticaram como "arriscada" a fórmula aplicada por Passarella do denominado "futebol aventura". "Esse futebol, com suas mudanças contínuas nas formações, que tiram segurança nas pessoas escolhidas e nos deslocados não ajuda a solidificar uma estrutura. As dúvidas do técnico prolongam-se nos jogadores", explicou o Clarín.   Os comentaristas esportivos na TV e no rádio alertaram para o risco de que estas características podem voltar a afetar o time no resto da sul-americana.   Antes de partir rumo ao aeroporto internacional de Ezeiza, para voltar ao Brasil, o time do Botafogo recebeu o apoio de um pequeno grupo de fãs brasileiros - uma dúzia de pessoas - que aglomerava-se na frente do Hotel Intercontinental, em pleno centro portenho, para despedir-se do time, que seguiu cabisbaixo ao Rio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.