PUBLICIDADE

Dirigente do Inter diz que acerto com Nilmar está longe

Segundo Newton Drummond, clube não vai equiparar salário que o atacante recebia no Corinthians, R$ 390 mil

PUBLICIDADE

Por Augusto Zaupa
Atualização:

Embora esteja livre para acertar com qualquer clube - conseguiu a sua liberação junto ao Corinthians na Justiça de Trabalho -, o futuro de Nilmar segue incerto. Nesta terça-feira, o diretor de futebol do Internacional, Newton Drummond, declarou que o empresário do atacante, Orlando da Hora, pediu valores fora da realidade do clube e que o "retorno do jogador está muito distante". "Sentamos e conversamos por algumas horas ontem [segunda-feira]. Mas ainda é preciso acertar muita coisa, não só salários e tempo de contrato", disse Drummond. "Mas posso adiantar, pelo que foi conversado com o jogador e o seu empresário, que o acerto está bem distante e quase impossível de sair", acrescentou o dirigente. O diretor de futebol do time colorado não quis revelar o valor oferecido ao atleta de 23 anos, mas a quantia pedida é próxima do salário que recebia quando defendia o Corinthians, que era de R$ 390 mil. No grupo do Internacional, o jogador mais valorizado é o atacante e capitão Fernandão, que ganha R$ 110 mil mensais. Recentemente, o vice de futebol Giovanni Luigi declarou que, mesmo com o dinheiro ganho com a venda de Alexandre Pato ao Milan (cerca de R$ 37,5 milhões), o clube não pretende fazer nenhuma loucura para ter novamente o jogador - ele deixou o Inter em 2004 para atuar no francês Lyon. Nilmar assinaria com o clube gaúcho por três a quatro anos, mas ficaria liberado para se transferir para Europa em julho de 2008 caso recebesse alguma proposta que o interessasse - o Inter receberia uma compensação financeira.   Sem ofertas Apesar de São Paulo e Santos já terem anunciado publicamente que desejam contar com o artilheiro, Orlando da Hora revelou que ainda não foi procurado por nenhum clube brasileiro para fechar com o jogador. "Falam demais no Nilmar, mas oferta que é boa ainda não recebi nada, só do exterior. Vamos esperar mais alguns dias, não temos pressa", comentou.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.