PUBLICIDADE

‘Nos sentimos em casa’, afirma meia do Marrocos após apoio da torcida na vitória contra a Bélgica

Com o apoio dos presentes no Catar, seleção marroquina surpreende europeus e põe um pé nas oitavas

PUBLICIDADE

Por Fernando Valeika de Barros
Atualização:

Na partida entre Bélgica e Marrocos, a seleção marroquina parecia estar jogando em Casablanca ou Marrakech tamanha a festa da sua torcida. O estádio Al Thumama foi convertido em caldeirão rubro-verde, as cores da bandeira do país, e os africanos corresponderam em campo, dando tudo contra a Bélgica.

Equilibraram a posse de bola, anularam Kevin de Bruyne com uma marcação bem feita e, mais importante, marcaram os dois gols que definiram o jogo. “Nos sabíamos que tínhamos que fazer um jogo de alto nível contra uma das melhores seleções do mundo”, disse o meia Azzedine Ounahi. “E com o apoio de nossa torcida nos sentimos em casa”.

Os jogadores Nayef Aguerd e Yahya Attiat-Allah celebram a vitória de Marrocos contra a Bélgica pela Copa do Mundo de 2022.  Foto: Ronald Wittek/EFE

PUBLICIDADE

O gol do Marrocos até saiu no primeiro tempo com uma falta cobrada pelo craque do time, Hakim Ziyech, mas foi anulado pelo impedimento do lateral Achraf Hakimi. A torcida ficou com o grito de gol entalado na garganta.

Mas os marroquinos não abaixaram a cabeça no segundo tempo e acabaram premiados com um lance raro. Em uma outra falta, a cerca de 30 metros da meta belga, Abdrkhamid Sabiri cobrou, o zagueiro Romain Saiss atrapalhou a visão do goleiro do Real Madrid, Thibaut Courtois, e a bola passou por baixo do braço dele.

O gol marroquino teve efeitos imediatos. O primeiro: enlouqueceu, de vez, a torcida marroquina, que passou a gritar e incentivar sua seleção ainda mais. E os marroquinos, que já jogavam de igual para igual, tomaram conta da partida. “Jogar dando o máximo que podíamos, era tudo o que podíamos fazer para retribuir tanto apoio”, disse o meia Noussair Mazraoui.

Desarrumada, a Bélgica se abriu. E ainda tomou o segundo gol com Aboukhalal, em um passe de Hakim Ziyech, o melhor em campo.

Agora, Marrocos só depende de um empate contra o Canadá para avançar as oitavas de final. Os marroquinos, no entanto, garantem que a festa acabou no momento em que saíram do gramado do Al-Thumama. “Temos que nos manter concentrados”, diz Mazroui. Numa Copa do Mundo com tantas surpresas, é bom mesmo.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.