PUBLICIDADE

Santistas reclamam da parada de duas semanas no Brasileirão

jogadores do Santos não conseguem disfarçar a ansiedade para confirmar a classificação para a Libertadores

PUBLICIDADE

Os jogadores do Santos não conseguem disfarçar a ansiedade para confirmar a classificação para a Libertadores da América, com uma vitória contra o Paraná, depois de dois resultados negativos diante do Atlético-MG (2 a 2, na Vila Belmiro) e Flamengo (derrota por 1 a 0, no Maracanã) e reclamam da parada de 15 dias do Campeonato Brasileiro.   "A vantagem desses dias todos sem jogo é que a comissão técnica tem mais tempo para melhorar o condicionamento do grupo e corrigir algumas falhas que o time possa ter apresentado na última partida. Mas gostaríamos que a decisão fosse logo na quarta-feira", disse Rodrigo Tabata, na tarde desta quarta, após o segundo treino do dia.   O meia contou que os jogadores têm conversado sobre a partida contra o Paraná, considerada a última decisão do ano. "A nossa idéia é somarmos os três pontos para garantir a classificação direta. Se isso acontecer, entraremos tranqüilos na rodada final contra o Fluminense na Vila, e nos livramos da disputa da seletiva da Libertadores do ano que vem."   O que mais incomoda os jogadores é que, embora o time tivesse atuado bem contra o Flamengo, domingo à noite, no Maracanã, durante duas semanas a última lembrança será de uma derrota. E os assuntos nas conversas do grupo continuam sendo os chances desperdiçadas por Rodrigo Souto, quando o resultado do jogo ainda era de 0 a 0.   "A nossa proposta de jogo era aquela e só não ganhamos por detalhes. Mas não podemos criticar Rodrigo Souto por não ter feito o gol" defendeu Rodrigo Tabata. "Sua qualidade é indiscutível e, se estivesse em algum clube da Europa, com certeza seria convocado para a seleção brasileira."   Com a derrota do Maracanã, Tabata voltou a ser questionado nesta quarta sobre um possível melhor rendimento quando ele entra no segundo tempo. "O que muda é que, entrando aos 25 ou 30 minutos, tenho menos tempo para aparecer. Acho que fui bem diante do Flamengo e, graças à minha movimentação e a do Pedrinho, surgiram espaços para a chegada de Rodrigo Souto em condições de fazer o gol."   Tabata tem contrato até dezembro do ano que vem e não pretende trocar de clube, principalmente depois de ter sido aceito pela exigente torcida santista. "O torcedor percebeu que eu sempre procurei fazer o melhor para o time, até nos dias em que nada dá certo", disse o meia, considerado um dos jogadores mais modernos em atividade no Brasil por Paulo César Carpegiani, ex-técnico do Corinthians. "A lição que aprendi no Santos é que a gente jamais deve desistir. Nos piores momentos, quando estava sendo criticado, foi quando eu mais me empenhei", completou.   Com a ausência de Pedrinho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Rodrigo Tabata poderá voltar a atuar na sua verdadeira posição, como armador, para a entrada de Marcos Aurélio formando a dupla de ataque com Kleber Pereira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.