PUBLICIDADE

Torcedor rouba medalha de zagueiro durante comemoração de título e é preso; veja vídeo

Momento do furto é flagrado em vídeo, viraliza nas redes sociais e ajuda na captura do suspeito

PUBLICIDADE

Por Daniel Vila Nova

A festa de um título é sempre um momento especial para jogadores, comissão técnica e torcedores. Para o Atlético Bucaramanga, clube colombiano que foi campeão nacional pela primeira vez neste sábado, dia 15 de junho, a vitória nos pênaltis sobre o Independiente Santa Fé foi histórica.

Após o apito final e a conquista do título inédito, a torcida do clube invadiu o gramado para comemorar. Foi nesse momento que um torcedor se aproveitou do caos formado pela festa e furtou a medalha de campeão do zagueiro Carlos Henao.

O zagueiro Carlos Henao, do Atlético Bucaramanga, tem sua medalha de campeão roubada por um torcedor. Foto: Reprodução/X

O defensor estava rodeado por fãs e torcedores quando o ladrão, de forma sorrateira, apareceu por trás do jogador e arrebentou o cordão que segurava a medalha. O homem, então, retirou o objeto do pescoço do atleta e desapareceu no meio da multidão.

PUBLICIDADE

Henao percebeu o furto e tentou localizar o ladrão, mas a quantidade de gente ao redor do zagueiro fez com que ele não conseguisse identificar o homem que o roubou. O momento do furto, no entanto, foi registrado em vídeo por torcedores e viralizou nas redes sociais. Nas postagens, os torcedores do Atlético Bucaramanga tentavam identificar o ladrão.

Segundo a imprensa colombiana, não demorou muito para que o infrator fosse localizado e detido. O homem foi preso fora do estádio El Campín, na cidade de Bogotá. A prisão do ladrão também foi filmada e compartilhada na internet.

No X, antigo Twitter, o prefeito da cidade de Bucaramanga, Jaime Andrés Beltrán, lamentou o ocorrido, mas parabenizou o trabalho da polícia colombiana e o empenho dos torcedores do clube em encontrar o responsável pelo furto. “Nada manchará a festa pacífica que vivemos”, afirmou em sua rede social.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.