PUBLICIDADE

No auge, Melo encara irmãos Bryan de olho em marca de Guga

Duplista decide o título do ATP Finals e pode ser o primeiro brasileiro campeão do evento desde Gustavo Kuerten em 2000

PUBLICIDADE

Por Matheus Martins Fontes
Atualização:

O mineiro Marcelo Melo contou com boa dose de experiência nesse sábado para alcançar a decisão do ATP Finals pela primeira vez na carreira. Ele e o croata Ivan Dodig bateram a dupla formada pelo polonês Lukasz Kubot e o sueco Robert Lindstedt em um jogo em que foram eficientes nos momentos-chave. Por isso, o brasileiro garante que "seu nível está próximo do auge" e isso pode ajudá-lo a sair com o título de Londres neste domingo, às 13h30 (horário de Brasília), contra os irmãos Bob e Mike Bryan, que venceram os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin na outra semifinal. Em 2013, Dodig e Melo caíram nas semifinais diante dos atuais campeões David Marrero e Fernando Verdasco. Em entrevista exclusiva ao Estado, Melo disse que a campanha nessa temporada em Londres coroa a ótima fase pela qual atravessa, mesmo com todos os problemas de lesão do parceiro. "Passar para a final é uma bela recompensa pela temporada complicada. A lesão do Ivan nos impediu de jogar dois Grand Slams (Roland Garros e Wimbledon). Mas conseguimos superar tudo isso com muita experiência. Estamos jogando muito bem e posso dizer que estou próximo do meu auge". Finalista em Londres, o confiante Melo está subindo por enquanto do 10.º lugar para o 6.º no ranking da ATP. Em caso de título, o mineiro terminará a temporada dentro do top 5. Em outubro, ele chegou a ser o terceiro melhor duplista do mundo.

Marcelo Melo diz que está próximo de seu auge Foto: Glyn Kirk/AFP

EXPERIÊNCIA Na semifinal, o mineiro precisou ter muito sangue-frio após um começo de partida complicado diante de Kubot e Lindstedt. Os europeus, invictos na fase de grupos, não deram brechas e conseguiram a quebra decisiva no saque de Dodig ao fim do primeiro set. Melo reconheceu que a paciência foi fundamental para a recuperação do time na parcial seguinte. "A experiência tem que ser usada nesses momentos importantes. E hoje (sábado) conseguimos fazer isso muito bem em um jogo duríssimo. Foi importante seguirmos acreditando nas nossas chances e esperar por uma chance que veio no fim do segundo set. Depois disso, crescemos na partida". A partir daí, a dupla do brasileiro tomou as rédeas no match tie-break e o brasileiro novamente provou o quanto está mais maduro em um dos match points. Quando o placar marcava 9/5, Melo disparou um winner de devolução e já comemorava o triunfo quando o replay eletrônico constatou que o saque dos rivais tinha saído. Coube ao mineiro aguardar mais um ponto e confirmar a vaga inédita na próxima bola. "Quando você pensa que o jogo acabou com um winner como aquele, é normal você soltar toda a adrenalina. Mas a experiência me ajudou a recuperar o foco rapidamente e me adequar à maneira ideal para fechar a partida depois", explicou Melo. EXPECTATIVANeste domingo, o duplista mineiro tenta se igualar a Gustavo Kuerten, que levantou o troféu de simples da Masters Cup (hoje ATP Finals) de Lisboa em 2000. Na ocasião, Guga derrotou Pete Sampras e André Agassi para fechar a temporada como número 1 do mundo. Melo não esconde a emoção do feito principalmente na presença do tricampeão de Roland Garros, que está comentando o torneio pelo canal Sportv. "É realmente emocionante ir para decisão do ATP Finals com o Guga presente neste momento histórico. O Brasil precisa aproveitar isso, porque os resultados estão aí: final de ATP Finals, final de Grand Slam, Masters 1000. Precisamos continuar dando valor para engrandecer o nosso esporte". E o brasileiro já sabe do enorme desafio contra os irmãos Bryan, atuais líderes do ranking. "A final vai ser dura. Eles são bem experientes, sabem jogar nesse tipo de situação. Mas eu e Ivan estamos preparados para fazer um bom jogo e conseguir essa vitória", confia. Os norte-americanos levaram a melhor nos dois confrontos em 2014, nas quartas de final de Wimbledon e na decisão do Masters 1000 de Monte Carlo. Mas o brasileiro venceu exatamente na primeira fase do ATP Finals do ano passado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.