PUBLICIDADE

Chanceler francês compara EUA a Pilatos na crise do Oriente Médio

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

O ministro do Exterior da França criticou hoje a forma como os Estados Unidos estão tratando o conflito no Oriente Médio, comparando a administração de George W. Bush com o governador romano que ordenou a crucificação de Jesus. "A política deles de esperar para ver pode fazê-los parecer com o Pôncio Pilatos", disse o chanceler francês Hubert Vedrine numa entrevista publicada hoje pelo jornal Le Figaro. "Estamos esperando que eles se envolvam mais, dadas suas responsabilidades globais e a excepcional influência que têm sobre os protagonistas do conflito", afirmou. Vedrine afirmou que a situação no Oriente Médio é "mostruosa e revoltante". Ele disse que ataques terroristas palestinos só servem para provocar Israel, e condenou o Estado judeu por "fazer refém todo um povo". A administração Bush considera que a melhor maneira de controlar a violência na região é através das recomendações feitas por uma comissão especial encabeçada pelo senador norte-americano George Mitchell. Entre elas estão um período de calma, medidas de criação de confiança e a retomada das negociações de paz. Vedrine encontrou-se hoje em Paris com o ministro do Exterior alemão, Joschka Fischer. Numa entrevista coletiva conjunta, os dois disseram que os Estados Unidos não têm se empenhado suficientemente pela paz no Oriente Médio. Fischer afirmou que estava antecipando sua volta a Berlim para se preparar para um encontro com o líder palestino Yasser Arafat. Fischer viajará para a África do Sul na noite desta sexta-feira liderando a delegação alemã na Conferência Mundial Contra o Racismo. Ele planeja se encontrar com Arafat no sábado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.