PUBLICIDADE

Frustrado com vitória de Trump, Nobel destroça Green Card

O escritor nigeriano Wole Soyinka diz que vai deixar residência nos EUA

PUBLICIDADE

Por Redação Internacional

JOHANNESBURGO - O escritor nigeriano e Prêmio Nobel Wole Soyinka despedaçou seu Green Card e renunciou a sua residência nos Estados Unidos em protesto pela eleição do republicano Donald Trump à Casa Branca, disse o autor nesta quinta-feira ao canal de TV eNCA.

"Farei isso", disse Soyinka, de 82 anos, ao ser questionado se cumpriria sua promessa de deixar os EUA se Trump vencesse a disputa.

"Quando eu estiver pronto, tiver terminado minhas coisas, negociarei minha partida", disse o escritor nigeriano no intervalo de uma conferência em uma universidade de Johannesburgo.

Wole Soyinka diz que ficou doente ao saber da vitória de Trump. ( Foto: George Ersiri/Reuters)

PUBLICIDADE

Soyinka tem regularmente lecionado em uma liga de oito universidades privadas do nordeste dos EUA desde os meados dos anos 90, depois de receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1986. Ele foi o primeiro escritor africano a receber a premiação.

Um frequente e duro crítico de seu governo, principalmente em razão da carnificina cometida pelos militantes do grupo Boko Haram no nordeste da Nigéria, Soyinka disse ter ficado doente com o choque da vitória de Trump.

Publicidade

"Nós, do Continente Africano, podemos nos gabar que tivemos o descendente de um conterrâneo governando os Estados Unidos", disse Soyinka, referindo-se ao atual presidente americano, Barack Obama, cujo pai era queniano.

"De repente, alguém está fazendo discursos que significam o retrocesso dessa conquista", declarou./ REUTERS

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.