PUBLICIDADE

Início de histórico resgate de mineiros soterrados há 69 dias comove chilenos

Equipes de resgate estavam prontas ontem à noite para começar a tirar da mina San José os 33 operários soterrados há 69 dias, mas engenheiros decidiram submeter cápsula Fênix a mais testes depois que ela voltou com uma pequena avaria da primeira descida

PUBLICIDADE

Por CHILE

Eram 0h10 de hoje quando o mineiro Florencio Ávalos emergiu na superfície dentro da cápsula Fênix, depois de 69 dias preso a quase 700 metros de profundidade. Ávalos foi o primeiro dos mineiros a ser resgatado na mina de San José. Ao sair da cápsula Fênix, que o içou em 16 minutos,Florencio usava capacete e oculos escuros e foi abracado poelo filho e pela mulher. Pouco antes, soou uma sirene e na mina.O presidente do Chile, Sebastián Piñera, e a primeira-dama Cecília Morel, chorando, o abaraçaram também. No Acampamento Esperança, onde os parentes dos 33 mineiros presos vivem desde que eles foram soterrados no dia 5 de agosto, explodiram gritos de alegria e bandeiras do Chile em todos os cantos. "Chi-chi-chi le-le-le, mineros de Chile", gritavam todos.O resgatista Manuel González foi o primeiro a descer na mina e para preparar o resgate. Por uma tela de computador, viam-se os mineiros sem camisa, o recebendo com festa lá embaixo, onde fazia 30° C e 89% de umidade. Em frente a um telão, os familiares dos mineiros vibravam com cada lance. "Vamos, vamos", gritava Darwin Contreras, irmão de Pedro Contreras Cortez. "Olha lá o Pedro, assinando uma bandeira", dizia ele.Os primeiros sinais de sucesso da operação surgiram ao final de um dia de expectativa e tensão. O salvamento estava previsto para começar às 20 horas, mas testes com a Fênix atrasaram a operação.Desde a tarde, a cápsula tinha subido e descido pelo menos quatro vezes. Na primeira vez, ela voltou com uma pequena avaria, forçando a realização de novos testes. "É como um parto - a mina dará à luz 33 mineiros." Foi assim que o ministro da Saúde, Jaime Mañalich, descreveu o resgate. Segundo o ministro das Minas, Laurence Golborne, o salvamento deve durar até amanhã. Coube a Piñera, anunciar oficialmente que Florencio Avalos seria o primeiro dos 33 homens a ser resgatado da mina San José. Ele chegou a brincar com os jornalistas, dizendo que estava certo de que o primeiro homem a sair tinha o sobrenome Ávalos, incluindo o irmão de Florencio, Renan . Há três mineiros com esse sobrenome na mina.A cápsula Fênix 2 - uma das três testadas - foi escolhida para a operação porque, segundo o ministro, estava mais preparada para o resgate. Passadas 14 horas do começo do resgate, estava prevista a descida de outros dois membros da equipe de socorro para finalizar a operação.A cápsula sobe com cada mineiro à velocidade de um metro por segundo, mas pode dobrar ou triplicar em caso de emergência, disse Mañalich. A equipe de resgate saberá se alguém passar mal graças a um sistema de monitoramento. Depois de resgatados, os operários seriam levados para uma área de triagem e, dali, encontrariam seus familiares. De lá, seriam transportados para o hospital em helicópteros que comportam dois mineiros deitados ou quatro sentados. Eles devem ficar no mínimo 48 horas no hospital para que possam ser realizados exames radiológicos e oftalmológicos. Ocuparão dois andares do hospital de Copiapó.Durante o salvamento, os mineiros usaram roupas especiais: uma blusa, calça, jaqueta e manta verdes, feitas de tecido respirável, que mantêm a temperatura do corpo constante. Também usarão capacete e óculos com lentes que bloqueiam 100% dos raios ultravioleta. Como eles ficaram em relativa escuridão por muito tempo, o sol poderia danificar sua visão de forma grave. Para completar, os mineiros vestirão uma cinta semelhante à usada por pessoas com varizes, na cintura e nas pernas - o objetivo é manter a circulação constante e evitar queda de pressão. Há também o risco de a cápsula entalar no trajeto. O túnel não é totalmente vertical, nem liso. Além disso, há uma folga de apenas 3 centímetros entre a cápsula e a parede do túnel. O ministro das Minas pediu à imprensa que tenha paciência e conservasse a privacidade dos mineiros. "Os 33 mineiros queriam esperar na superfície até que todos seus companheiros fossem resgatados e só depois disso ir para o hospital", disse Golborne. Por razões médicas, a solicitação do grupo não foi atendida. Segundo Golborne, que se tornou o ministro mais popular de Piñera nos últimos meses, os mineiros estavam mais tranquilos e confiantes do que as pessoas na superfície.PROBLEMASAtaque de pânicoEmbolia pulmonarTromboseDor de ouvidoQueda de pressãoNáuseaEnjooDesenlaceJAIME MAÑALICHMINISTRO DA SAÚDE"Os 33 queriam esperar na superfície até que todos os seus companheiros fossem resgatados e só depois ir para o hospital""É como se a mina estivesse em trabalho de parto. Toda vez que dê à luz esses mineiros, uma sirene tocará. A sirene será um alerta para equipe médica que está fazendo o parto"

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.