PUBLICIDADE

Membro do Hamas morre em ação israelense contra Faixa de Gaza

Israel admitiu ataques aéreos e detalhou que operação foi uma resposta a disparos na fronteira

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

GAZA - Um combatente do movimento islamista Hamas morreu nesta quinta-feira, 12, em um ataque israelense contra a Faixa de Gaza, informou o Ministério da Saúde do enclave.

+ Israel admite veracidade de vídeo que mostra palestino desarmado ser baleado em Gaza

+ The Economist: Moradores da Faixa de Gaza esperam um novo conflito

Uma fonte de segurança do Hamas disse que o combatente morto era um dos vários agentes situados em um posto de observação ao leste da cidade de Gaza Foto: EFE/Mohammed Saber

PUBLICIDADE

Mohamed Hijaila morreu e outro combatente ficou gravemente ferido, declarou um funcionário do território controlado pelo Hamas, confirmando que a vítima era membro da organização. Israel admitiu ataques aéreos contra a Faixa de Gaza e detalhou que a operação foi uma resposta a disparos na fronteira.

+ Confrontos em Gaza matam mais 9 palestinos; total de vítimas chega a 30

+ Novos confrontos com soldados israelenses em Gaza deixam dois palestinos mortos

Uma fonte de segurança do Hamas disse que o combatente morto era um dos vários agentes situados em um posto de observação ao leste da cidade de Gaza.

Publicidade

Ao que parece, os combatentes estavam atirando contra um avião israelense que atacou a Faixa de Gaza após a colocação, na quarta-feira, de um artefato explosivo na vala da fronteira com Israel.

"Em resposta a um artefato explosivo que foi detonado contra um veículo (militar) ontem, um avião israelense atacou alvos militares na Faixa de Gaza", informou o Exército hebreu. "Após o bombardeio, uma célula terrorista disparou contra um avião de Israel, sem conseguir atingi-lo, e o aparelho a interceptou."

Ao menos 32 palestinos morreram na Faixa de Gaza por ataques israelenses desde o dia 30 de março. / AFP e REUTERS

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.