Rússia muda de alvo na guerra na Ucrânia e mira Severodonetsk; entenda por quê

Foto: Redação
Por Brittany Shammas, Nick Parker e Rachel Pannett

Forças russas tentam cercar a cidade após o fim da longa batalha por Mariupol, e precisam de uma vitória depois que foram ‘empurradas’ de Kiev e Kharkiv

Por Brittany Shammas, Nick Parker e Rachel Pannett

THE WASHINGTON POST - A batalha por Severodonetsk - uma das últimas grandes cidades sob controle ucraniano em uma importante província do leste - está emergindo como um ponto focal na guerra da Rússia.

Tropas russas, bombardeando a área constantemente, estão usando táticas de “terra arrasada” em Severodonetsk enquanto busca capturar a região de Luhansk, disse seu governador no domingo, 22. Ao mesmo tempo, o presidente ucraniano Volodmir Zelenski alertou que os combates no leste estão se tornando cada vez mais sangrentos, com até 100 soldados ucranianos mortos a cada dia. Nesta terça-feira, 24, avanços russos provocaram a morte de quatro pessoas, confirmaram autoridades locais.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

“A situação aqui é difícil porque o exército russo agora lançou todas as suas forças para capturar a região de Luhansk”, disse o governador Serhi Haidai na segunda-feira, 23, em uma atualização para a emissora ucraniana Espreso TV.

Mas mesmo que eles capturassem apenas Severodonetsk, disse Haidai, “eles também o apresentariam como uma grande vitória”.

A Rússia está tentando cercar Severodonetsk, que tinha uma população pré-guerra de cerca de 100.000, agora que uma longa batalha pela cidade portuária de Mariupol terminou. A Rússia está tentando ganhar o controle de Donbas, que inclui as regiões de Donetsk e Luhansk. Às margens do rio Severski Donets, a cidade é um dos últimos grandes redutos urbanos sob domínio ucraniano em Luhansk, ao lado da vizinha Lisichansk.

Um carro completamente danificado é visto em uma rua após um ataque russo em Severodonetsk, região de Luhansk, Ucrânia, em 13 de maio
Um carro completamente danificado é visto em uma rua após um ataque russo em Severodonetsk, região de Luhansk, Ucrânia, em 13 de maio Foto: Leo Correa/AP

As forças russas, que não conseguiram tomar Kiev e foram empurradas para a região perto da segunda maior cidade de Kharkiv, “precisam de uma vitória”, disse Matthew Schmidt, professor associado de segurança nacional e ciência política da Universidade de New Haven, em Connecticut. “Eles estão jogando tudo o que têm nisso”, acrescentou.

Falhando em outros grandes esforços, ele disse, “eles estão decididos a vencer essas batalhas táticas”.

Ele disse que Moscou tem lutado com a eficácia do combate, tendo enormes perdas de oficiais e unindo grupos “Frankenstein” formados por tropas de diferentes unidades. Muitos estão exaustos.

Como a Rússia carece de oficiais capazes de liderar ofensivas eficazes contra a Ucrânia, eles estão tentando obter tal vitória em Severodonetsk sobrecarregando os ucranianos com poder de fogo. Schmidt disse que os russos estão “abrindo caminho” de uma forma que pode ter consequências terríveis para os civis, como em Mariupol.

“Eles estão apenas atacando os ucranianos com artilharia”, disse Schmidt.

“Todos os dias eles estão tentando quebrar a linha de defesa”, disse Haidai em uma entrevista à mídia ucraniana que ele postou em seu canal no Telegram no domingo. “Há bombardeios 24 horas por dia e, infelizmente, o exército russo escolheu a tática da terra arrasada contra a cidade de Severodonetsk: eles estão simplesmente destruindo sistematicamente a cidade. Todos os lugares estão sendo bombardeados constantemente.”

Liudmila Denisova, comissária de direitos humanos da Ucrânia, disse que a cidade está se tornando “uma nova Mariupol”.

Tropas russas destruíram uma ponte em Severodonetsk no sábado, dificultando a retirada de pessoas e a chegada de suprimentos, disse Haidai no domingo: “Se eles destruírem mais uma ponte, a cidade será totalmente isolada, infelizmente”.

Ponte que liga a cidade de Lisichans'k com a cidade de Severodonetsk, na região leste ucraniana de Donbas, foi derrubada no 88º dia da invasão russa da Ucrânia
Ponte que liga a cidade de Lisichans'k com a cidade de Severodonetsk, na região leste ucraniana de Donbas, foi derrubada no 88º dia da invasão russa da Ucrânia Foto: ARIS MESSINIS / AFP

Ele disse que cerca de 10.000 pessoas permanecem em Severodonetsk, cerca de um décimo de sua população antes da guerra, e que a maioria “está quase constantemente em abrigos antiaéreos”. Haidai acrescentou na segunda-feira que os esforços de retirada continuam e sua “única ponte sobrevivente” está sob ataque, mas ainda “inteira”.

Para as forças de Moscou, disse ele, as apostas são altas. Uma perda seria “devastadora para sua moral e posição estratégica”.

Mesmo uma vitória pode vir com baixas dispendiosas de tropas e perdas de equipamentos. As forças ucranianas, enquanto isso, poderiam voltar a uma posição segura e ofensiva a partir da qual poderiam manter a pressão sobre a Rússia, disse Schmidt.

Um jornalista do Canal 24 perguntou a Haidai se as tropas russas “se acalmariam se seu ataque a Severodonetsk fosse bem-sucedido”.

“Não, claro que não”, disse Haidai no domingo. “O exército russo só se acalma onde são ‘acalmado’ – o que significa que eles vão parar onde forem parados.”


Encontrou algum erro?Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Publicidade