PUBLICIDADE

Elon Musk recua e desiste do processo contra OpenAI; entenda

Bilionário desistiu do processo contra a empresa de IA que ele ajudou a fundar

PUBLICIDADE

Foto do author Alice Labate

Elon Musk retirou o processo que havia movido contra a OpenAI no início do ano, acusando a empresa de desviar-se de sua missão original de desenvolver inteligência artificial (IA) para o bem da humanidade.

De acordo com o Washington Post, a decisão veio na terça-feira, 11, um dia antes de uma audiência que poderia ter levado ao arquivamento do caso. A movimentação ocorre em meio a uma série de disputas de Musk com a OpenAI e outros gigantes da tecnologia, incluindo uma recente revolta com a Apple.

Elon Musk desiste de processar a OpenAI  Foto: Dado Ruvic/Reuters

PUBLICIDADE

Em fevereiro deste ano, Musk entrou com uma ação judicial contra a OpenAI, alegando que a empresa havia violado seu compromisso com os primeiros investidores e o público ao priorizar interesses comerciais em vez do bem público.

Ele argumentou que a parceria multibilionária da OpenAI com a Microsoft contradizia a promessa de desenvolver cuidadosamente a IA para o benefício da humanidade. Musk também alegou que a empresa se desviou de sua missão original de construir uma inteligência artificial geral (AGI) e passou a focar em ganhos financeiros.

A decisão de Musk de retirar o processo contra a OpenAI ocorre em um momento crítico para a indústria de IA, marcada por rápidas inovações e intensas disputas empresariais. Enquanto Musk continua a desenvolver sua própria empresa de IA, a xAI, a OpenAI prossegue com suas parcerias estratégicas, solidificando sua posição no mercado global de tecnologia.

Briga de Musk e Apple

A tensão entre Musk e a OpenAI se intensificou recentemente com o anúncio de uma parceria entre a OpenAI e a Apple. Durante a conferência Worldwide Developers Conference 2024 (WWDC), a Apple revelou que integrará o ChatGPT em seus produtos.

Musk criticou publicamente a parceria em suas redes sociais, classificando-a como uma “violação de segurança inaceitável” e ameaçando proibir o uso de dispositivos Apple em suas empresas. Ele descreveu a tecnologia da OpenAI como “spyware assustador”, levantando preocupações sobre a privacidade dos usuários.

Publicidade

Em resposta às críticas de Musk, Mira Murati, diretora de tecnologia da OpenAI, defendeu a parceria com a Apple em uma entrevista à Fortune, também na terça-feira, afirmando que a OpenAI se preocupa com a privacidade e segurança dos usuários.

Durante a entrevista, Murati enfatizou que a integração com a Apple não comprometerá os dados dos usuários e que a OpenAI não utilizará esses dados para treinar seus modelos. Ela também comentou que o maior risco é que as partes interessadas possam entender mal a tecnologia, reforçando o compromisso da OpenAI com a transparência.

A OpenAI continua a avançar em seus projetos, incluindo o desenvolvimento de um novo modelo de IA que sucederá a tecnologia GPT-4. A empresa anunciou a criação de um Comitê de Segurança e Proteção para lidar com os riscos das novas tecnologias.

Musk foi um dos cofundadores da OpenAI em 2015, juntamente com Sam Altman e Greg Brockman. Em 2018, Musk deixou a OpenAI após uma disputa interna pelo controle e, desde então, a OpenAI atraiu bilhões em investimentos, principalmente da Microsoft, e se tornou uma das líderes no campo da IA.

Paralelamente, Musk lançou a xAI com a missão declarada de criar tecnologias que priorizem a segurança e o benefício da humanidade. Em maio, ele chegou a levantar US$ 6 bilhões em rodada de investimento para a startup.

*Alice Labate é estagiária sob supervisão do editor Bruno Romani

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.