PUBLICIDADE

Motorista em carro autônomo do Uber assistia ‘The Voice’ antes do acidente no Arizona

Segundo investigação da polícia, Rafaela Vasquez assistia ao programa no celular no momento do atropelamento, em março deste ano

PUBLICIDADE

Por Agências
Atualização:
Imagem da TV americana ABC mostra carro autônomo e vítima logo após o acidente ocorrido no domingo, 18 Foto: AP

A motorista de segurança que testava o carro autônomo do Uber em Tempe, no Arizona, estava assistindo um programa de The Voice no celular quando o veículo bateu e matou uma pedestre em março. A polícia local disse que Rafaela Vasquez, que acompanhava o teste de dentro do carro, estava olhando um episódio do programa de calouros pelo aplicativo Hulu.

PUBLICIDADE

A empresa dona do aplicativo confirmou que a motorista assistiu 42 minutos do programa pelo app na noite do acidente e só deixou de ver a transmissão no momento do choque.

O carro estava em modo autônomo no momento do acidente, mas o Uber, como outros desenvolvedores de carros autônomos, exige um motorista reserva no carro para intervir quando o sistema autônomo falhar ou ocorrer uma situação complicada de direção.

Com essa evidência de desatenção é possível que a motorista seja acusada de homicídio culposo. A polícia disse que, com base em testes, o acidente poderia ter sido evitável.

Porém, ainda não está claro se a motorista vai ser acusada. Quem determinará se pede ou não a acusação é o Procurador do Condado de Yavapai. O Uber não quis comentar o caso e a motorista não foi encontrada.

Mudanças. No mês passado, o Uber disse que a empresa estava passando por uma revisão de segurança e havia contratado uma antiga autoridade federal de transportes para ajudar a melhorar a cultura de segurança da empresa.

A empresa disse ainda que os motoristas de segurança estavam proibidos de usar qualquer dispositivo móvel por motoristas de segurança, enquanto os carros autônomos circulavam em uma via pública. O Uber confirmou que os motoristas sabem que podem ser demitidos por violar essa regra.

Publicidade

De acordo com um relatório do Conselho Nacional de Segurança no Transporte, que também está investigando o acidente, Vasquez disse aos investigadores federais que estava monitorando a performance do carro e que não usava seus smartphones no momento do acidente.

Crime.Elaine Herzberg, 49, atravessava andava fora da área de pedestres, em uma estrada de quatro pistas na noite de 18 de março, em Tempe quando foi atingida por um carro autônomo em testes do Uber. A pedestre chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Depois do acidente, o Uber suspendeu seus testes com carros autônomos e encerrou a fase de experimentação no Arizona. A empresa diz que planeja começar a testar os veículos em outros lugares neste verão, mas não revelou o nome das cidades.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.