PUBLICIDADE

Nos EUA, pais vão receber relatório de atividade dos filhos no Instagram

Empresa anunciou pacote de segurança nesta quarta-feira, 16, e quer ajudar pais a entender como seus filhos utilizam plataformas do Facebook

PUBLICIDADE

Por Redação Link
Atualização:
Por enquanto, para que os pais tenham acesso ao relatório, é preciso que os filhos autorizem o compartilhamento das informações Foto: Instagram

Atualizado em 16/03, às 15h40

PUBLICIDADE

O Instagram anunciou nesta quarta-feira, 16, o lançamento da ferramenta "central da família", que vai aumentar o nível de controle parental na plataforma. O app de fotos do Facebook agora vai enviar aos pais relatórios com informações sobre o tempo em que os filhos passam navegando na plataforma, ter notificações quando o perfil seguir ou ser seguido por alguma conta, além de poder visualizar quais ferramentas serão utilizadas pelas crianças. 

Em uma parte separada do aplicativo, os pais poderão vincular suas contas às contas dos filhos e ter acesso a um gráfico completo de uso da plataforma. Dados como a quantidade de horas por dia gastas no Instagram vão ficar disponíveis, junto com notificações de quando o perfil reportar uma conta, por exemplo — a ideia é que pais saibam quando os adolescentes encontrarem na plataforma com possíveis exploradores. 

Para que os pais tenham acesso, é preciso que os filhos autorizem o compartilhamento das informações — e vice-versa. O Instagram, afirmou que trabalha em uma versão onde os pais podem solicitar o acesso desses dados e que, em junho deste ano, uma versão da plataforma com o relatório para desktop também estará disponível.

A medida já tinha sido anunciada pelo presidente do Instagram, Adam Mosseri, em dezembro de 2021, em meio a polêmica envolvendo a empresa de Mark Zuckerberg a respeito de danos causados à saúde mental de menores de idade no app. Na época, a eclosão dos Facebook Papers, série de documentos sigilosos vazados para a imprensa pela ex-funcionária Frances Haugen, uma pesquisa interna indicou que uma em cada três meninas que se sentiam mal consigo mesmas, ficavam pior no Instagram

O pacote também é uma resposta ao fim turbulento do projeto do Instagram Kids. Hoje, só é permitido que adolescentes maiores de 13 anos criem conta na plataforma, mas a regra é frequentemente burlada. Para isso, Mosseri tinha planos de criar uma versão infantil do app. A ideia foi rechaçada no congresso americano, quando audiências foram realizadas no final do ano passado para que o Facebook esclarecesse o conteúdo dos Facebook Papers. 

Segurança em VR

Publicidade

O Facebook também anunciou um pacote de ferramentas de segurança para garantir a supervisão dos pais em relação ao uso de óculos de realidade virtual (VR). De acordo com a empresa, um padrão de desbloqueio será liberado para os óculos Quest, de VR, em que os pais podem selecionar conteúdos que não devem ficar disponíveis para adolescentes. 

Ainda, a partir de maio, o Facebook vai bloquear o download de aplicativos classificados como impróprios para menores de idade. Um painel semelhante à ferramenta trazida no Instagram também vai estar presente nas ferramentas de VR, com configuração dupla — pais e filhos precisam consentir para que o controle parental possa ser realizado. 

Por enquanto, as novidades estarão disponíveis apenas nos Estados Unidos, mas a empresa afirmou que não são um teste e, sim, o lançamento de ferramentas que, futuramente, serão implementadas em outros países. Ao Estadão, o Instagram informou que ainda não há data para que os recursos cheguem ao Brasil, mas que o país está na rota de lançamento das atualizações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.