Defesa da mulher de Bruno e Macarrão quer anular depoimento de menor

Advogado de Dayanne Souza e Luiz Henrique Ferreira Romão diz que vai pedir habeas corpus

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo

07 de julho de 2010 | 20h51

BELO HORIZONTE - O advogado Ércio Quaresma, que representa Dayanne Souza e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, respectivamente mulher e principal auxiliar do goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, criticou nesta quarta-feira, 7, os pedidos de prisão contra seus clientes e disse que vai solicitar habeas corpus em favor deles.

 

Veja também:

linkCom prisões pedidas, goleiro e amigo se entregam

linkExame comprova que sangue encontrado no carro é de Eliza

linkFlamengo cria comissão para analisar situação

linkSegundo menor, Eliza morreu por estrangulamento

linkBruno deixou casa antes de ter prisão decretada

especialCronologia do caso

 

Pela manhã, na porta do Departamento de Investigação (DI) da polícia mineira e antes de Macarrão se entregar, ele reiterou que pretende pedir a nulidade do depoimento do menor J. e se apresentou como representante também de outros quatro suspeitos: Flávio Caetano de Araújo, Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, Elenilson Vitor da Silva e Sérgio Rosa Sales Camelo - que até o início da noite também havia sido preso.

 

O sr. vai pedir a nulidade do depoimento de J.? Qual foi o argumento da prisão da Dayanne?

 

"Conturbação das investigações. Tem um tarado, um maluco no Rio de Janeiro querendo uma recompensa de R$ 5 mil, leva para a delegacia um menor dizendo que o cachorro comeu a moça e a minha cliente é presa por conturbar a investigação. Depois, vem um popstar ministerial que sai dizendo que tem uma prisão preventiva (...) Crimes de sequestro e de homicídio têm de ser julgados juntos. A competência é da Justiça mineira. São conexos os crimes."

 

Quando o sr. esteve com Macarrão?

 

"Eu estive com ele ontem pela manhã. Essa parada (depoimento de J.) só foi depois do meio-dia."

 

O sr. manteve contato com ele depois?

 

"Eu dei um recado para alguém: pina, sai de banda."

 

Os outros clientes do sr pretendem se entregar?

 

"Vou ingressar com habeas corpus esperando a decisão do TJ-MG a respeito desse negócio."

Tudo o que sabemos sobre:
Bruno FernandesEliza Samudio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.