Matt Slocum/AP
Matt Slocum/AP

Corredora síria é 11ª atleta banida dos Jogos por doping

Amostra da urina de Ghfran Almouhamad, dos 400m com barreiras, indicou substância proibida

Reuters, Reuters

11 de agosto de 2012 | 14h13

LONDRES - A síria Ghfran Almouhamad, que competiu nos 400 metros com barreiras, foi desclassificada da Olimpíada de Londres depois de testar positivo para um estimulante, informou o Comitê Olímpico Internacional (COI) neste sábado. "Ghfran Almouhamad, de 23 anos, forneceu uma amostra de urina em 3 de agosto de 2012 em Londres que indicou a presença de metilhexaneamina. A análise da amostra B confirmou os resultados da amostra A", declarou a entidade em um comunicado.

Ela havia ficado em oitavo lugar na segunda bateria da primeira rodada, no dia 5 de agosto. Por ser primária, a atleta enfrenta uma suspensão máxima de dois anos. "Solicitou-se à Associação Internacional de Federações de Atletismo que modifique os resultados do evento", acrescentou o COI.

A Síria enviou dez atletas aos Jogos, apesar do levante sangrento de 17 meses contra o governo do presidente Bashar al-Assad. A corredora é a 11a atleta a ser eliminada da Olimpíada de Londres, seja pelo COI ou por uma delegação, desde o início do período olímpico, no dia 16 de julho.

A metilhexaneamina entrou na lista de proibições da Agência Mundial Antidoping em 2010 e é proibida somente em competições. A substância pode ser encontrada em suplementos nutricionais, sobretudo os concebidos para aumentar a energia ou intensificar a perda de peso, além de descongestionantes nasais.

O COI fará mais de 5 mil testes de doping até o final dos Jogos, no domingo. Mais de 100 atletas também foram flagrados usando substância proibidas nos meses que antecederam os Jogos na esteira dos testes crescentes de agências antidoping nacionais e internacionais para descobrir infratores antes que chegassem a Londres.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.