13% dos médicos abandonam a obstetrícia

A pesquisa também revelou que médicos vêm desistindo de atuar como obstetras. Entre os entrevistados pelo Datafolha, 13% disseram ter deixado de fazer partos nos últimos anos.

O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2012 | 03h10

O número reforça um movimento já observado pela Associação Médica Brasileira, que emite os títulos de especialistas: a queda da procura de jovens médicos pela residência em obstetrícia. Em 2001 foram emitidos 553 títulos; no ano passado, somente 260, praticamente a mesma quantidade registrada em 1992.

Para a Sogesp, isso ocorre especialmente por dois motivos. A baixa remuneração dos partos (cerca de R$ 250 pelos planos) e a necessidade de estar sempre disponível. "É algo desgastante e o pagamento por essa disponibilidade não é previsto. Os honorários foram aviltados de tal maneira nos últimos 15 anos que está tornando o atendimento inviável", diz Cesar Fernandes. / G.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.