Arquivo/AE
Arquivo/AE

130 cidades brasileiras apagam as luzes neste sábado

SÃO PAULO - O Parque do Arpoador, no Rio de Janeiro, sedia neste sábado, 31, a celebração brasileira da Hora do Planeta, movimento que levou mais de 1 bilhão de pessoas a apagarem as luzes em todo o mundo no ano passado. Ícones da paisagem carioca estarão às escuras entre 20h30 e 21h30, como o Cristo Redentor, a igreja da Penha, o Monumento dos Pracinhas, a orla de Copacabana e o Arpoador. Além do Rio, outras 25 capitais e 130 cidades brasileiras participam do ato simbólico, apagando 580 monumentos. No ano passado, 123 municípios, entre eles 20 capitais, aderiram à campanha.

O Estado de S.Paulo

31 Março 2012 | 03h03

Agora em 2012, estão confirmadas a participação dos paulistanos Obelisco do Ibirapuera, Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira, Monumento às Bandeiras, Theatro Municipal, Biblioteca Mário de Andrade, Arcos do Anhangabaú (baixos do Viaduto do Chá), Mercado Municipal e Estádio do Pacaembu, além do Hospital Israelita Albert Einstein. Pelo País, também terão suas luzes apagadas o Farol da Barra e o Elevador Lacerda, em Salvador, o Monumento a Bento Gonçalves, em Porto Alegre, o Mercado Central de Porto Velho, em Rondônia, e o Horto Florestal de Rio Branco, no Acre.

'O País será anfitrião da conferência da Organização das Nações Unidas que debaterá o desenvolvimento sustentável, a Rio+20. O ato de apagar as luzes hoje será mais uma forma de mostrar ao mundo que os brasileiros querem um futuro com desenvolvimento econômico que respeite os limites do planeta e gere inclusão social', diz a superintendente de Engajamento do WWF-Brasil, Regina Cavini.

A primeira Hora do Planeta ocorreu em março de 2007, apenas na cidade australiana de Sidney.

Entre os monumentos mundiais que já participaram da iniciativa e apagaram suas luzes estão as pirâmides do Egito, a Torre Eiffel, em Paris, a Acrópole, em Atenas e a cidade de Las Vegas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.