62 mil prestam vestibular da Unicamp

No primeiro ano com apenas duas redações, temas abordados foram pessimismo e conteúdo jornalístico

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2012 | 02h05

CAMPINAS - Cerca de 62 mil estudantes fizeram ontem a primeira fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que este ano reduziu o número de redações de três para dois. Os candidatos disputam 3.444 vagas em 68 cursos da Unicamp e dois da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. O índice de abstenção foi de 7,64%.

O primeiro tema da redação propôs que o aluno fizesse um resumo de uma reportagem para apresentar o ponto de vista do texto "sobre a importância do pessimismo em oposição ao otimismo". "O texto vai na contramão do que temos visto na mídia e nas redes sociais que é um excesso de valorização do otimismo. Estamos valorizando o lado bom dos pessimistas", explicou o coordenador executivo do vestibular, Maurício Kleinke.

O segundo tema apresentava uma matéria sobre uma cerveja desenvolvida para cachorros e outra tratando sobre os problemas do consumo de álcool na adolescência. A proposta era que o candidato se posicionasse como um leitor assíduo do jornal que estivesse se indignado com a matéria por não citar o problema do consumo de álcool entre menores. Ele deveria escrever uma carta para o jornal contestando a publicação.

"Achei os dois temas meio fora da realidade. Esperava assuntos mais complexos", afirmou a estudante Alessandra Vieira, de 18 anos, que tenta uma vaga para engenharia da computação.

"Foi uma questão inusitada, que é cerveja para animal, mas no fundo é para fazer um contraponto com a questão do consumo de álcool na adolescência. Do ponto de vista acadêmico, os dois textos exigem do aluno que ele tenha uma habilidade de relacionar temas não óbvios", disse Kleinke.

No dia 21 de dezembro sai a lista de aprovados para a segunda fase, que ocorrerá nos dias 13, 14 e 15 de janeiro.

Avaliação. Para professores de cursinhos, a prova foi mais simples que a do ano passado. Eles elogiaram a cobrança de filosofia e a escolha das propostas de redação.

No teste sobre filosofia, os candidatos precisavam saber conceitos básicos sobre a obra de Sócrates. "A alternativa correta tinha a redação mais simples, o que pode ter confundido alunos que não conhecem a disciplina", avaliou o professor do Objetivo Maurício Mazzucco. / COLABORARAM CARLOS LORDELO, CLARICE CUDISCHEVITCH e MATEUS COUTINHO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.