A entressafra da notícia

É como tirar leite de pedra! O leitor provavelmente não imagina o trabalho que dá produzir jornal todos os dias nesta época de vacas magras na criação de notícias. A edição de amanhã vai estar, decerto, mais fininha que a de hoje, mas só Deus sabe a ginástica que se faz todo fim de ano nas redações para não faltar informação no café da manhã do assinante.

Tutty Vasques, O Estadao de S.Paulo

23 Dezembro 2009 | 00h00

Sem o Congresso, a bolsa de valores ou competições esportivas para reportar, restam aos jornalistas o corre-corre de última hora nos shoppings, a chuva de papel picado, o movimento nas estradas, a previsão do tempo, as peladas beneficentes e as retrospectivas previamente preparadas, além da imensa torcida para que uma grande tragédia não transforme o tédio da apuração em supremo esforço de reportagem.

Antes que o pior aconteça - como, aliás, é comum entre o Natal e o réveillon -, estou saindo de férias, mas deixo aqui esta homenagem aos colegas de plantão. Pense neles quando ler o jornal nos próximos dias.

MODÉSTIA À PARTE

Quem já esteve com Roberto Carlos na volta do lateral esquerdo a São Paulo garante: apesar dos 36 anos, o jogador mantém sua máscara em excelente estado de conservação.

BARBADA

Pesquisas confirmam: para Geraldo Alckmin vencer as eleições em São Paulo basta ao pré-candidato tucano continuar sumido da mídia até outubro de 2010.

Pau de arara na contramão

O senador Aloizio Mercadante se confundiu de novo! Declarou que Ciro Gomes pegou um pau de arara "na direção errada", quando, na verdade, queria dizer "na direção contrária". Seja lá como for, não importa, o deputado deve pagar multa e perder uns 10 pontos na carteira.

Jogo perigoso

O ex-comunista Roberto Freire deu um carrinho por trás na última metáfora do Lula: chamou Dilma Rousseff de "perna de pau". Tomou um cartão amarelo bobo, bobo!

Coisa de folião

José Serra já decidiu: só vai pensar em eleição depois do carnaval. Nas duas coisas, ao mesmo tempo, o governador não consegue se concentrar.

Rodízio de Natal

Papai Noel e a Polícia Federal estão acertando os ponteiros para não se encontrarem hoje à noite na chaminé da casa de José Roberto Arruda.

Paz na Terra!

Os ambientalistas já começaram a protestar por conta do fracasso previsto para a próxima Conferência do Clima, em 2010, no México. Será que nem no Natal essa gente para de falar no fim do mundo, caramba?!

Fui!

Então está combinado: a gente se encontra logo mais no concerto de Agnaldo Rayol no Natal da Av. Paulista! Depois disso, só em fevereiro, quando volto de férias. Todo leitor merece esse descanso, né não? Boas festas!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.