A grande cozinheira

Julia Child não inventou a gastronomia, mas sua importância nos Estados Unidos é tamanha que parece que sim. Ela foi, com James Beard, a introdutora e divulgadora de um refinamento francês, porém sem frescura, na cozinha americana. Por mais de 20 anos ( 1963 a 1985), fez sucesso com seus programas de televisão. Mostrava ao público coisas insólitas, como rãs, patos e ela própria: com seu 1,88 m de altura, voz de sopranino e entusiasmo gesticulante, era tão parte do encantamento quanto as receitas. Como sempre ia bebendo pequenos goles do que usava nas receitas, era comum terminar o show (na época pré-videoteipe) levemente de pileque, o que criou um simpático folclore. Seus livros, feitos com grande rigor, testados e retestados, foram best sellers e moldaram gerações de cozinheiros. Voltam agora à lista de mais vendidos das livrarias americanas. Minha Vida na França está saindo no Brasil. Quem sabe venha aí também a tradução de Mastering the Art of French Cooking.

Luiz Horta, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2009 | 02h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.