A tecnologia na natação: muito além do maiô hi-tech

César Cielo acredita que vivemos atualmente uma espécie de nova era na natação mundial. Tudo graças ao LZR Racer, da Speedo, lançado em fevereiro. O traje, desenvolvido com a Nasa, foi usado em mais de 35 quebras de recordes. Mas o que torna esse maiô tão especial? "Ele promete reduzir o atrito com a água e ajudar o atleta a manter a posição ideal de nado", explica. Enquanto alguns especialistas apontam o traje como responsável direto pelas novas marcas, Cielo é um pouco mais comedido. "A Speedo patrocina os melhores, então o maiô acaba parecendo melhor do que é", diz. "Acredito que mesmo sem o LZR estaríamos vendo algumas quebras (de recorde). Mas não nessa proporção. Os novos tempos são muito inferiores", admite Cielo que ainda não decidiu qual traje usará em Pequim. Ele está em dúvida entre o próprio LZR e o Tracer Rise, da TYR – que ele veste na foto de capa do Link e usou quando bateu o recorde sul-americano do 100 metros livre em abril. "Nesse mesmo dia, antes da prova, ao tirar o maiô novinho e muito apertado, rasguei o traje (de U$S 600) e desloquei os dois polegares." Cielo treina entre 2 horas e 30 minutos e 5 horas diariamente. Os treinos se dividem entre natação e musculação. E é neles que a tecnologia se faz mais presente. Nos treinos, costuma usar um equipamento chamado Tempo Trainer, que dita o ritmo do nado, de acordo com o definido pelo técnico. Tem ainda a Vibration Machine, em que o atleta simula o nado em cima da mesma. "Diziam que você ganhava força usando-a." Há outros recursos como um tonificador muscular e uma espécie de dinamômetro que, preso ao corpo do nadador, mostra a força usada pelo atleta e a sua evolução. Dentre todos os recursos, Cielo destaca a filmagem das provas como o mais valioso. "Durante uma competição ajuda muito você poder ver o que errou na eliminatória", conta. "E isso acaba fazendo a diferença de uma prova para a outra." Com o auxílio de softwares como Dark Fish e Velox, é possível ainda, a partir das filmagens, analisar quadro a quadro o comportamento do atleta na competição e emitir um gráfico da sua performance. B.G.

23 Junho 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.