Abastecimento de combustível em SP preocupa, diz Foster

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, reconheceu hoje que a situação da distribuição de combustível em São Paulo preocupa a companhia. A executiva destacou, no entanto, que tem trabalhado junto à BR Distribuidora para maximizar o volume distribuído. Segundo ela, os caminhões-tanque voltaram a se movimentar durante a madrugada, mas o retorno ao abastecimento normal depende da logística das empresas. "Não basta abrir e fechar uma válvula, é preciso obedecer a um planejamento", disse.

EDUARDO RODRIGUES, CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agência Estado

07 Março 2012 | 14h11

Preço

Maria das Graças Foster voltou a dizer que a Petrobras só irá reajustar o preço dos combustíveis quando houver uma justificativa. Segundo ela, essa é uma decisão que deve ser tomada pelo Conselho Administrativo da companhia. "Mesmo quando nosso preço está acima dos preços internacionais levamos esta questão ao Conselho." Ela acrescentou que a Petrobras possui necessidade de realizar investimentos cada vez mais altos, dentro do plano da companhia até 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.