Aberto inquérito para apurar queda de parapente no Rio

Câmera que fica acoplada ao equipamento de voo deve ser apreendida hoje

Gheisa Lessa, estadão.com.br

26 Março 2012 | 13h36

SÃO PAULO - A Polícia instaurou inquérito nesta segunda-feira, 26, para investigar a morte da jovem Priscila Boliveira, de 27 anos, que caiu de um parapente, na tarde deste domingo, 25, na zona sul do Rio de Janeiro. Ela é irmã do ator Fabricio Boliveira, que participou de novelas como A Favorita e do filme Tropa de elite 2.

De acordo com a Polícia Civil, o instrutor que fazia o voo duplo com a jovem foi ouvido nesta manhã. Ele disse durante o depoimento ao delegado titular na 15ªDP, da Gávea, Fábio Barucke, que percebeu que Priscila estava caindo e tentou segurá-la, mas não conseguiu evitar a queda.

O equipamento utilizado no voo foi aprendido e passará por perícia. A polícia irá verificar as informações passadas pelo instrutor de que o material havia sido vistoriado há cerca de dois meses e a validade da licença de atuação do profissional.

A câmera que fica acoplada ao equipamento de voo não foi apresentada à perícia, mas equipes da delegacia vão se encontrar hoje com o instrutor para recolher o equipamento. Se o instrutor não entregar a câmera, pode ser autuado por crime de desobediência.

Mais conteúdo sobre:
queda parapente Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.