Abic registra alta 3% no consumo de café no Brasil

O consumo de café no Brasil atingiu 19,97 milhões de sacas de 60 kg entre maio de 2011 e abril de 2012, um crescimento de 3,05 por cento na comparação com o mesmo período anterior, informou nesta sexta-feira a Abic, associação que reúne as indústrias.

Reuters

10 de agosto de 2012 | 16h07

A Associação Brasileira da Indústria de Café esperava um crescimento ligeiramente maior, de 3,5 por cento no período.

"Mesmo tendo sido um pouco abaixo, a entidade espera fechar o ano com uma demanda total de 20,41 milhões de sacas", disse a Abic em comunicado.

O ano comercial da Abic vai de novembro a outubro. O levantamento divulgado nesta sexta-feira, que inclui o período de maio a abril, é preliminar, mas dá uma indicação do que se passa no mercado.

"As razões do crescimento de 3,05 por cento, menor do que o esperado pela Abic em suas previsões iniciais, deverão ser mais pesquisadas, mas podem estar relacionadas ao crescimento do consumo de produtos concorrentes no café da manha no lar", disse em comunicado Américo Sato, presidente da entidade.

Apesar de um crescimento menor do que o esperado, a Abic ainda mantém a meta ter um consumo interno de 21 milhões de sacas em 2013.

O Brasil, maior produtor e exportador global de café, é o segundo consumidor mundial.

O levantamento intermediário da Abic mostrou ainda que o consumo per capita foi de 6,18 kg de café em grão cru por ano (ou 4,94 kg de café torrado, quase 83 litros para cada brasileiro), alta de 1,23 por cento em relação ao período anterior.

"Os brasileiros estão consumindo mais xícaras de café por dia e diversificando as formas da bebida durante o dia, adicionando ao café filtrado consumido nos lares, também os cafés expressos, cappuccinos e outras combinações com leite", comentou Márcio Reis Maia, diretor da área de Pesquisas e Informações da Abic.

(Por Roberto Samora)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCAFEABIC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.