Abiove eleva previsões de exportações do complexo soja

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) elevou nesta segunda-feira as suas previsões de exportações do complexo soja (grão, farelo e óleo), na comparação com as previsões de abril.

REUTERS

07 de junho de 2010 | 11h22

O país exportará na temporada 2010/11 (fevereiro/janeiro) um recorde de 29,2 milhões de toneladas do grão, contra 29 milhões na projeção anterior e contra 28 milhões na safra passada, de acordo com a associação.

"A demanda continua forte, especialmente da China, a gente realmente projeta uma exportação alta", afirmou o economista da Abiove Henrique Paes de Barros.

As exportações brasileiras de farelo de soja deverão atingir no mesmo período 13,2 milhões de toneladas, ante 13 milhões de toneladas na projeção passada, uma alta de mais de 1 milhão de toneladas ante o ano anterior.

"A exportação de farelo está indo bem para a União Europeia (principal mercado, respondendo por mais de 70 por cento do que o Brasil exporta). No acumulado em relação ao ano passado, está praticamente no mesmo patamar, a demanda também está aquecida", comentou Barros.

O Brasil exportará 1,35 milhão de toneladas de óleo de soja em 10/11, acima da estimativa de abril (1,3 milhão de toneladas), mas ainda abaixo do que exportou na temporada passada (1,45 milhão de toneladas).

"O óleo está exportando menos pelo programa de biodiesel, cada vez mais a exportação está sendo direcionada ao mercado interno", disse ele, comentando o aumento da mistura neste ano para 5 por cento.

"É mais interessante para as indústrias do que ficar com acúmulo de crédito de ICMS", explicou o economista, observando que eventual nova demanda da China, por conta de uma disputa comercial com a Argentina, ainda não foi suficiente para alavancar as exportações.

Segundo ele, mesmo que a China deixe de comprar da Argentina, ela pode trazer de outros lugares ou substituir importação de óleo de soja por outros óleos comestíveis.

As divisas geradas com as exportações do complexo soja (o principal produto da pauta de exportação do agronegócio) foram estimadas em 15,2 bilhões de dólares, contra 17,2 bilhões no ano passado, em meio a previsões de preços mais baixos do grão e do farelo.

SAFRA MAIOR

O aumento das estimativas de exportação ocorreu em meio a uma alta na previsão da safra, cuja colheita já foi encerrada.

A Abiove ajustou sua projeção de produção para 68,4 milhões de toneladas, ante 67,9 milhões de toneladas na estimativa de abril, quando ainda havia algumas lavouras sendo colhidas.

Com uma maior oferta, a associação aumentou a expectativa de processamento em 10/11 para 33,1 milhões de toneladas, ante 32,9 milhões na projeção anterior e 30,7 milhões na temporada passada.

(Por Roberto Samora)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJAABIOVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.