Abrafarma é contra venda de remédio em mercado

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) criticou a medida provisória aprovada pelo Senado que inclui artigo liberando a venda de medicamentos (que dispensam prescrição médica) em supermercados, armazéns, empórios, lojas de conveniência e similares. Em nota oficial, a entidade argumenta que a medida coloca em risco a saúde da população e pode acarretar em concorrência desleal contra as farmácias e drogarias.

EQUIPE AE, Agência Estado

26 Abril 2012 | 18h47

A associação espera que a presidente Dilma Rousseff vete o artigo 8º do Projeto de Lei de Conversão 07/12, oriundo da Medida Provisória 549/11. O projeto, aprovado na noite de quarta-feira, concede isenção de tributos a produtos destinados a pessoas com deficiência.

O presidente executivo da entidade, Sérgio Mena Barreto, afirmou em comunicado à imprensa que "o Senado abre um perigoso precedente ao permitir que a população adquira medicamentos indiscriminadamente, motivada simplesmente por campanhas publicitárias ou promoções relâmpago".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.