Acadêmico une erudição com modernidade

O cardeal italiano Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano, é um acadêmico erudito com um toque de modernidade - justamente a combinação que muitos católicos consideram ideal para ressuscitar uma Igreja sob pressão pelos escândalos e contração do seu rebanho. Ravasi, de 70 anos, é também a esperança entre os católicos que desejam ver a volta da tradição de um papa italiano.

O Estado de S.Paulo

12 de março de 2013 | 02h04

Extrovertido, alegre e saudável, Ravasi é considerado o prelado que poderia fazer a ponte entre a Igreja e o mundo moderno. Poliglota e erudito em temas bíblicos, costuma incluir em seus discursos citações que vão de Aristóteles à cantora britânica Amy Winehouse - para ele, suas músicas melancólicas são uma boa referência para entender a juventude de hoje.

Além de apreciar o rock, Ravasi costuma usar o Twitter para mandar mensagens aos fiéis. O vaticanista americano John Allen costuma dizer que o italianoi é uma mistura de Bento XVI, de quem teria a mesma solidez teológica, com Carlo Maria Martini, o lendário cardeal de Milão morto em agosto do ano passado, que representa o catolicismo progressista italiano. Entre os papáveis, seria o menos conservador. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.