Achada construção no mausoléu dos guerreiros de terracota

Edificação tem 30 metros de altura e está rodeada por muros escalonados

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 08h55

Arqueólogos chineses confirmaram, após cinco anos de investigação, a existência de uma misteriosa construção de 30 metros de altura enterrada no vasto mausoléu do primeiro imperador chinês, escoltado pelos famosos guerreiros de terracota. Segundo informou neste domingo a agência "Xinhua", a edificação está rodeada por muros escalonados e poderia ter servido para que "a alma do imperador passasse a uma vida melhor". Desde o ano 2000, os arqueólogos utilizaram tecnologia sensorial remota para estudar a estrutura interna do mausoléu, cuja escavação está suspensa há anos porque os meios utilizados na China não garantem a conservação do túmulo. A construção descoberta está sepultada sob o túmulo principal e cada muro conta com nove degraus, explicou Duan Qingbo, do Instituto de Arqueologia de Shaanxi, onde está localizado o mausoléu do primeiro imperador. Qin Shihuang (221-206 a.C.) começou a reinar com apenas 13 anos, foi o primeiro imperador que conseguiu unificar o país e estabeleceu sua capital perto de Xian. Lá, em 1974, um camponês descobriu o túmulo com os guerreiros de terracota (um tipo de argila). Até agora foram desenterrados só mil dos 8.000 guerreiros que, segundo os especialistas, escoltavam o túmulo. As investigações realizadas até agora estimam que o mausoléu tenha 2,13 quilômetros quadrados de superfície e, junto com outras 181 tumbas estendidas pela zona, cubra uma superfície total de 60 quilômetros quadrados. Cerca de 720.000 operários trabalharam durante 38 anos para construir o monumento funerário. Segundo a lenda, o túmulo esconde um vasto palácio subterrâneo com rios de mercúrio repletos de pérolas e diamantes que representam as estrelas e o céu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.