Acidentes em rodovias federais caíram 10% no fim do ano

Foram registrados 651 acidentes nas rodovias federais brasileiras e 380 mortes

Ricardo Della Coletta , Agência Estado

02 de janeiro de 2014 | 12h09

Atualizado às 13h17 - O número de acidentes nas rodovias federais brasileiras registrou uma queda de 10% nos feriados de Natal e réveillon, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo balanço apresentado nesta quinta-feira, 2, pela Polícia Rodoviária Federal, foram registrados 6.651 acidentes entre os dias 20 de dezembro de 2013 e 1º de janeiro de 2014, contra 7.407 em igual período do ano anterior.

A PRF também constatou queda no número de mortos e feridos nos feriados. No mesmo período do ano retrasado, foram 4.642 feridos em rodovias federais, versus 4.352 em 2013 (6% a menos). Já a quantidade de mortos caiu de 420 em 2012 para 379 no final de 2013.

Índice. A Polícia Rodoviária Federal apontou ainda que as quedas foram mais acentuadas quando foi utilizado um índice que leva em conta o crescimento da frota entre 2012 e o ano passado. No fim de 2013, foram 81,4 acidentes por milhão de veículos entre 20 de dezembro e 1º de janeiro, 16% a menos do que nos feriados de 2012. Já o número de feridos por milhão de veículos variou de 61 em 2012 para 53,3 em 2013. A PRF informou que a frota atual é de 81,7 milhões de veículos.

A PRF atribuiu a redução no número de acidentes nas festas de final de ano a um maior rigor na fiscalização.  "Nós tivemos uma fiscalização mais rigorosa pela Polícia Rodoviária Federal e um planejamento mais adequado", disse Stenio Pires, coordenador-geral de operações substituto da PRF. Ele também afirmou que a redução teve influência de um trabalho de articulação com três ministérios: a implementação de radares nas rodovias federais, pelo ministério dos Transportes, a ampliação da rede de atendimento a acidentes do Samu, pela pasta da Saúde, e a veiculação de campanhas educativas, por meio do ministério das Cidades.

Tudo o que sabemos sobre:
acidentesrodoviasNatalréveillon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.