Ações contra crise no euro não devem custar a estabilidade de preços

Medidas para combater a crise na zona do euro não podem ser tomadas a ponto de prejudicar a estabilidade de preços, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Economia da Alemanha, Philipp Roesler, um dia após cobrar do Banco Central Europeu a retornar ao seu principal mandato o mais rápido possível.

Reuters

17 de janeiro de 2013 | 08h01

"Há um preço que não queremos pagar: o custo da estabilidade de preços", afirmou Roesler à câmara baixa do Parlamento alemão, acrescentando que o BCE deve manter-se independente.

Na quarta-feira, ele havia dito que a autoridade monetária europeia deveria retomar seu modo normal de condução da política o mais rápido possível após adotar medidas extraordinárias para atacar os efeitos da crise na região.

Tudo o que sabemos sobre:
AESCONTRACRISENOEURONODEVEMCUSTARAE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.